Cinco minutos é o tempo que Sanduk Ruit, médico-cirurgião oftalmológico nepalês, precisa para mudar a vida de uma pessoa, recuperando-lhe a visão. Estes poucos minutos são os necessários para este cirurgião oftalmológico fazer uma pequena incisão no olho do paciente, remover a catarata e substitui-la por uma lente artificial de baixo custo. "Alguns jovens cirurgiões são ainda mais rápidos do que isso," afirmou Ruit. Para muitos pacientes é a primeira vez em muitos anos, se não décadas, que vêem. Nos últimos 30 anos, Ruit recuperou a visão a mais de cem mil pessoas na Ásia e em África, e ensinou a sue técnica "fogo-rápido" a inúmeros cirurgiões oftalmológicos, em lugares tão inacessíveis como a Coreia do Norte.

Os seus pacientes sofrem de condições de deficiência visual, que na maior parte dos casos é evitável, mas devido à pobreza ou acesso limitado a serviços de saúde pública não puderam tratar-se. De acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde, cerca de 39 milhões de pessoas no mundo sofrem de cegueira, que poderia ser evitada ou curada em 80% dos casos.

Em 1994, com a ajuda do seu mentor e amigo, o falecido oftalmologista e filantropo australiano Fred Hollows, estabeleceu o Tilganga, um Hospital Oftalmológico no Nepal dedicado a providenciar tratamento oftalmológico de nível mundial aos nepaleses. O Hospital é também fábrica de lentes "estado-da-arte", comummente utilizadas no tratamento de cataratas e miopia, exportando-as a baixo custo para mais de trinta países em todo o mundo.

Para aqueles que não podem chegar a áreas urbanas, Ruit e a sua equipa montam "acampamentos oftalmológicos" em locais remotos do Nepal e países vizinhos, limpando salas de escolas e até estábulos ou tendas para usar como sala de operações temporária. Mas a sua missão de levar tratamento da cegueira curável a todos os mais desfavorecidos, já o levou a vários países da região, como o Butão, China, Myanmar, Coreia do Norte e Indonésia.
A Coreia do Norte não queria permitir a sua entrada, mas após o Dr. Ruit ter tratado um diplomata norte-coreano na embaixada de Katmandú, conseguiu persuadir as autoridades norte-coreanas a levar a cabo um 'workshop' com cirurgiões norte-coreanos.

A transformação da vida de pacientes que recuperam a visão após anos de cegueira em ambos os olhos, como o homem de 80 anos que finalmente pôde ver de novo o seu filho ao fim de dez anos, é indescritível. De um dia para outro, de fardos para as suas famílias e socialmente proscritos, passam a ter uma vida independente e a tomar de novo parte activa das suas comunidades. "Só posso estar agradecido por poder a fazer a diferença nas vidas de tantas pessoas," diz o Dr. Ruit, "Recarrega-nos e dá-nos vontade de continuar, mas ainda há muito por fazer."