As resoluções de ano novo são como aquele velho ditado: "ver para crer". No ressoar das 12 badaladas, todos temos tendência a jurar, para nós próprios, uma série de resoluções, que, nesse ano, vamos cumprir. Ou pelo menos, às 24h do dia 31 de Dezembro temos a intenção de cumprir: deixar de fumar, ir ao ginásio, beber menos, estar mais tempo com a família, fazer dieta, etc. Os estudos provam o contrário: em Janeiro, uma em cada três pessoas faz promessas de melhorar, pelo menos, um aspecto na sua vida. Enquanto 75% das pessoas mantém os seus objectivos por uma semana, apenas 46% consegue levá-los até seis meses.

 E porque é difícil manter o entusiasmo quando o fervor da festa passa, aqui estão cinco resoluções fáceis de manter e que vão marcar a diferença na sua vida. E na sua saúde. 

1 - Mantenha o contacto com pessoas da sua vida

Com as rotinas atarefadas que levamos, parece que as pessoas que, em tempos, marcaram a nossa vida se começam lentamente a afastar. Mas as pessoas com uma rede social forte vivem, aparentemente, mais do que as outras e uma falta de laços sociais pode mesmo fazer tanto mal à saúde como o álcool, o tabaco ou a falta de exercício. Já que vivemos na era das redes sociais, porque não tirar mais partido delas e manter-se em contacto com os seus amigos e família que estão longe?

2) Poupe (ainda mais) dinheiro

O dinheiro é uma das coisas que mais mal nos faz à saúde. Há tantas formas de poupar que esta lista podia ser infinita mas estas são três fáceis de pôr em prática. Deixe o carro para os fins de semana e vá de transportes públicos para o trabalho (ou, se puder, a pé ou de bicicleta) ou aposte na nova moda das viagens partilhadas. Esqueça as mensalidades no ginásio e aproveite os espaços ao ar livre para se exercitar. E não vá às compras sem uma lista definida daquilo que precisa - a tendência é para comprar mais do que realmente quer.

3) Faça voluntariado

Sim, leu bem, voluntariado. Eu sei que às vezes não temos sequer tempo para os nossos filhos e para as nossas coisas mas, ao contrário daquilo que pensamos, a nossa própria felicidade não depende apenas de nos mudarmos a nós mesmos. Muitos especialistas apontam que somos mais felizes quando ajudamos os outros. Alguns estudos apontam que pessoas com emoções positivas têm 20% menos de probabilidade de vir a desenvolver doenças cardíacas. Pode tirar apenas uma hora da sua semana para ajudar, de alguma forma, alguém perto de si ou através de uma associação. Mas lembre-se que voluntariado também é um compromisso e não é só para quando nos apetece.

4) Faça mais viagens. Cá dentro ou lá fora.

A rotina pode matar-nos. E ficarmos presos demasiado tempo no mesmo sítio também. Mas podemos fazer mudanças na nossa vida sem ter que ir por caminhos demasiado ousados ou dramáticos. A ideia é fazer com que a felicidade e as recompensas das férias possam durar, de facto, muito mais tempo. Porquê? Porque nos fazem sentir rejuvenescidos e reabastecidos do stress e das dificuldades do dia-a-dia. Às vezes basta mudar um pouco o cenário para nos sentirmos logo outras pessoas. Faça passeios com a família e amigos, tire fins-de-semana para descobrir outros sítios, meta-se no carro e vá sem destino definido. Tudo o que é novo e diferente faz bem ao corpo e à alma.

5)  Aprenda qualquer coisa nova

O ser humano é uma espécie interessante e com capacidade de absorver e aprender mais. Mas o que é que fazemos? Sentamo-nos, vemos televisão nos tempos livres e vivemos satisfeitos com as coisas que temos e sabemos. Faça algo mais em 2015: aprenda uma coisa nova! Pode fazer mudanças em grande, como mudar de carreira ou aprender uma nova língua. Mas pode também pegar naquilo que o rodeia e absorver mais do mundo: leia mais livros, faça um curso de qualquer coisa diferente e que nunca pensou fazer, vá para aulas de dança, faça bungee-jumping... a decisão é sua. Mas viva mais e mais saudável. Mexa-se, saia de casa, estimule a alma. E seja feliz. Muito feliz. #Curiosidades #AnoNovo2016