Já dizia o médico neurologista e criador da Psicanálise, Sigmund Freud, que as memórias reprimidas continuam intactas no nosso inconsciente, podendo interferir com os nossos comportamentos e a nossa saúde mental. Nem sempre queremos manter vivas algumas memórias do passado e, muitas vezes, fazemos tudo o que está ao nosso alcance para esquecer experiências desagradáveis e traumáticas. Saiba então que a curcumina, um componente presente no caril, é um forte aliado neste processo, ajudando a eliminar memórias negativas e evitando, deste modo, possíveis traumas provocados por momentos mais desagradáveis. Estas conclusões foram publicadas no passado mês de Dezembro no Jornal Científico Neuropsychopharmacology e têm a assinatura de um grupo de investigadores da City University of New York.

Como foi feito este trabalho? Mais uma vez foram utilizados ratinhos que passaram por experiências traumáticas com som, sendo que esta equipa recorreu a um ruído que deixa os animais assustados. Posteriormente, foi dada curcumina a alguns ratinhos e a outros não. Aqueles que a tinham ingerido, revelaram reacções antagónicas quando expostos ao mesmo som, ao passo que os que não tinham este componente no seu organismo voltaram a manifestar medo perante aquele ruído. Estes comportamentos mostraram, assim, que a curcumina é uma substância que ajuda a evitar traumas provocados por más memórias. Tal como afirmou um dos líderes deste trabalho, Gleen E. Schafe, ao site oficial da universidade, foi possível provar "que os animais com más memórias podem ultrapassá-las", graças à ingestão de curcumina.

Para doenças como o stress pós-traumático, esta equipa tem esperança que esta descoberta possa ajudar a prevenir e a tratar doenças de natureza psiquiátrica.

A curcumina é utilizada na culinária e na medicina tradicional indiana há mais de seis mil anos, sendo que os seus benefícios há muito que têm sido revelados por alguns estudos. Além de ser um parceiro no processo de eliminação de más memórias, como foi revelado recentemente, estudos anteriores já tinham mostrado que esta substância pode ser útil no tratamento de determinados cancros (mama, estômago, intestino, pulmão, fígado, cólon), doenças cardiovasculares, artrite, entre outras patologias. Conhecida por ter propriedades anti-inflamatórias, a curcumina pode ainda ser benéfica para o fígado.