É daquelas pessoas que gosta de ver série atrás de série e que era capaz de passar um dia inteiro a fazer uma maratona televisiva? Sim? Então esta notícia é para si. Um estudo realizado na Universidade do Texas, nos Estados Unidos da América, sugere que ver #Séries em demasia poderá ser um sinal de depressão e solidão. Além disso, poderá trazer malefícios para a saúde física.

A ideia é simples: pessoas que passam muito tempo em frente à televisão ou ao computador a ver séries como Game Of Thrones, House of Cards ou Breaking Bad, têm tendência a ter mais sintomas de depressão e a sofrer de solidão. Segundo os autores do estudo, as pessoas que têm problemas de humor são mais propensas a passar horas, ou até mesmo dias, a visualizarem episódios dos seus programas e séries favoritas. Os investigadores afirmaram que este comportamento não pode ser visto como um "vício inofensivo" e que as pessoas "devem pensar duas vezes" antes de ficarem longos períodos de tempo em frente à televisão.

O estudo foi realizado com 316 pessoas, com idades compreendidas entre os 18 e os 29 anos. A cada participante foram colocadas duas questões: com que média assistem a programas e/ou séries e quantas vezes experienciaram emoções negativas (como solidão e depressão). Os resultados demonstraram uma ligação directa entre o período de tempo despendido em frente à televisão e as emoções negativas. A investigação sugere que quanto mais solitárias e depressivas as pessoas são, mais tendência têm a passar mais tempo a assistir a séries, presumivelmente como uma forma de evitar as emoções negativas que sentem. Segundo Yoon Sung Hi, um dos investigadores que conduziu o estudo, estes resultados devem ser "uma chamada de atenção" e deverão ser levados a sério.

Yoon Sung Hi alerta ainda para os problemas de saúde física associados ao sedentarismo, como fadiga ou problemas de obesidade, que também devem ser um motivo de preocupação. O investigador refere que algumas pessoas sabem que não deveriam despender tanto tempo em frente aos ecrãs, mas têm dificuldade em "resistir ao desejo de assistir aos episódios de forma contínua". Os resultados completos desta investigação serão apresentados na Conferência da Associação Internacional de Comunicação, a realizar em Maio, em Porto Rico.