A nuvem negra que paira sobre os produtores de leite em Portugal parece ter vindo para ficar. Para além das descidas no litro de leite pago e da extinção das quotas leiteiras, parece juntar-se agora uma espécie de campanha "anti-consumo de leite". Será justificada? Todos estes anos que passámos a ingerir leite terão sido um erro? Pois bem, o leite, como qualquer alimento deve ser consumido de forma responsável. A expressão "comer de tudo em prato pequeno" adequa-se também a este fluido biológico que nos tem alimentado desde há séculos.

Mas afinal, quais são as vantagens do consumo de leite?

Jaqueline Bernardini, nutricionista, responde a estas questões. A profissional refere que o leite é um alimento rico em cálcio e proteína, o que ajuda não só o esqueleto, mas também a massa muscular. 150 ml de leite oferecem cerca de 36g de proteína, facto de extrema importância na recuperação muscular. Para além disso, a Universidade Federal do Rio de Janeiro efectou um estudo com 50 pacientes obesos. Os pacientes foram divididos em dois grupos: um grupo que ingeriu a dose diária recomendada de leite e outro grupo que fez uma ingestão inferior. Os investigadores chegaram então à conclusão de que no grupo em que ocorreu maior ingestão de leite, ocorreu uma diminuição de cerca de 3 cm no perímetro abdominal, não acontecendo o mesmo no grupo com menor ingestão de leite.

O leite, como líquido praticamente isotónico que é, ajuda a repor os níveis de água no organismo. Quem o afirma é o médico Tiago Volpi. De referir ainda que o leite pode ser ingerido indirectamente através de lacticínios, situação particularmente interessante para pessoas que não apreciam o seu sabor.

No que respeita aos modernos "leites de soja", o problema dessas bebidas é que de soja têm pouco (6 a 13% apenas), além de que a ingestão de produtos à base de soja deixa muitas questões no ar, devido à sua riqueza em isoflavonas (moléculas com a capacidade de mimetizar os estrogénios em várias situações metabólicas).

Dentro da oferta de leite existente há-que considerar que há opções ao leite de vaca, como: leite de cabra, de ovelha e, em alguns países, de búfala. Deve considerar-se se a moda do "não beber leite" será assim tão benéfica e também interrogar o porquê da humanidade usar este alimento há tantos e tantos anos.