Para os amantes de cerveja que sempre julgaram que a cada copo estavam a prejudicar a sua saúde, há notícias mais animadoras. De acordo com um estudo desenvolvido por uma equipa de cientistas da Universidade chinesa de Lanzhou, a cerveja pode ser uma bebida benéfica para a saúde. Isto graças a um componente desta bebida designado de lúpulo. Trata-se de uma planta que pertence ao grupo de plantas secas, usada em alguns tipos de refrigerantes e na produção de cerveja, e que tem o benefício de conseguir proteger as células cerebrais de possíveis danos. Por outras palavras, este composto contribui para o atraso no desenvolvimento de doenças neuro-degenerativas, como é o caso da Doença de Alzheimer ou o Parkinson.

Segundo este trabalho publicado na revista científica Journal of Agricultural and Food Chemistry, existem fortes indícios de que a oxidação das células neuronais é uma forte aliada no aparecimento de doenças que começam no cérebro. É, por isso, premente proteger essas células de futuras e eventuais nocividades, prevenindo e retardando, assim, o aparecimento de doenças tão devastadoras como as que foram mencionadas anteriormente, assim como outras doenças neurológicas.

No seguimento desta investigação, a equipa de trabalho optou por fazer um teste ao composto existente no lúpulo, o chamado "xanthohumol". Este composto já tem suscitado de alguma forma o interesse de outros investigadores uma vez que possui propriedades anti-cancerígenas, antioxidantes, anti-inflamatórias e ajuda ainda a proteger a saúde cardiovascular, sendo ainda um aliado contra a obesidade. Além disso, segundo um comunicado difundido pela Associação Americana de Química (ACS), Jianguo Fang, autor principal deste estudo, juntamente com os colegas, analisaram os efeitos deste composto, presente no lúpulo, no cérebro a partir de testes desenvolvidos em laboratório.

As conclusões são notórias. O lúpulo tem a capacidade de proteger as células neuronais, sendo um excelente candidato, no futuro, ao desenvolvimento de fármacos que ajudem a combater doenças como o Alzheimer ou Parkinson. Esta é, pelo menos, a esperança destes investigadores. Acrescente-se que, na medicina tradicional chinesa, o lúpulo já é usado há séculos para tratar uma panóplia de doenças. Assim sendo, o hábito de beber cerveja, ao contrário do que se pensa, pode ser uma rotina benéfica para a saúde.