Como vimos no último texto, o chakra base é o primeiro dos sete chakras e está relacionado com a segurança e com a ligação à terra e ao enraizamento, tendo como elemento a terra. O segundo chakra é chamado de chakra do sacro ou sacral, por estar situado na zona do sacro, localizado ao nível da quinta vértebra lombar e do baço. O seu nome em sânscrito é Svadhisthana, que significa, em tradução literal, "a própria base do ser". É responsável pela energização geral do organismo e por ele penetram as energias cósmicas mais subtis, que de seguida são distribuídas por todo o corpo. Quando estimulado, proporciona uma boa captação energética. Tanto este como o base estão intimamente ligados, pelo que muitos sábios os consideram como um único centro, representativo da energia sexual e espiritual.

Se no chakra base existe uma energia mais densa pela ligação a energias mais ligadas ao material e ao terreno, no chakra do sacro existe um aliviar desta densidade. Como referimos atrás, o chakra base está relacionado com a segurança, ao passo que este, depois de estabelecida e atingida esta segurança, a preocupação é com a procriação e com a fertilidade, pelo que está muito associada à sexualidade e à energia kundalini. É também onde habita a nossa criança interior, logo está muito ligado à criatividade, à alegria e às emoções no geral. Em termos físicos, regula o aparelho reprodutor assim como os rins, sangue, linfa e intestino delgado, estando relacionado também com a alimentação e o apetite.

Está associado à cor laranja e o seu elemento é água em oposição ao chakra base. Quando está desequilibrado e com défice energético, há um decréscimo do apetite sexual e/ou um crescimento de sentimentos de insegurança em relação a relacionamentos, podendo levar a que se seja sensível a abusos de manipulação pelo sexo oposto, podendo levar com consequência a isolamento e a sensação de perda da criatividade. Quando tem energia em excesso, os resultados variam entre ficar demasiadamente sensível ou emotivo e a ficar com a energia sexual a dominar o comportamento. Equilibrado, o chakra do sacro ou umbilical gera uma forte inspiração criativa, paciência, autoconfiança e resistência a sucumbir ao poder das emoções. Está relacionado com as questões de auto-controlo de cada ser, já que, quando está mais fraco, tem tendência para deixar os outros decidir o destino da nossa vida, tornando-nos incapazes de fazer as próprias escolhas. A nível físico, o desequilíbrio do chakra umbilical poderá levar a problemas de fígado, problemas de rins (que leva à perda da força vital), vesícula e bexiga, assim como alergias alimentares, problemas no ciclo menstrual, distúrbios gástro-intestinais, dores lombares, no sacro e cóccix.

Como vimos anteriormente, os chakras podem ser abertos e equilibrados através de várias formas. Uma eficaz, além do reiki, é a meditação com o uso de mantras. O mantra a usar é Vam, sendo necessário entoar a palavra Vam de forma a que ressoe no interior. As pedras preciosas são turquesa, coral e âmbar. O mudra para o chakra umbilical é chamado de dhyana, e para o fazer basta colocar as mãos sobre o colo, com as palmas viradas para cima, uma sobre a outra - a mão esquerda em baixo, com a palma que toca na parte traseira dos dedos da mão direita, com os dedos polegares a tocar de forma delicada.