É um dos frutos mais comuns no nosso país e, de acordo com uma investigação desenvolvida em colaboração com três universidades norte-americanas (Oregon, Florida e Nebrasca), pode ser um importante aliado na luta contra a obesidade. Além do consumo de uvas pretas ou mesmo do sumo desta fruta, beber vinho tinto de forma moderada pode igualmente ajudar a travar o excesso de gordura no organismo.

Neste trabalho de pesquisa, o fígado humano e células gordas desenvolvidas em laboratório foram expostos a estratos de quatro químicos existentes numa panóplia de uvas pretas que se podem encontrar no sul dos Estados Unidos. Um desses componentes, nomeadamente o acido elágico, mostrou ser muito potente, contribuindo para a redução drástica do crescimento das células gordas, ao mesmo tempo que ajudou à aceleração do metabolismo de ácidos gordos do fígado. De acordo com Neil Shay, investigador da Universidade de Oregon, estes químicos, uma vez que aceleram a queima de gorduras, podem ser importantes aliados na melhoria da saúde de pessoas que sofram de excesso de peso.

O que é recomendável?

Neil Shay já em 2013 tinha desenvolvido um trabalho em que juntou estratos de uvas pretas da casta Pinot à alimentação de ratos sedentários e com problemas de obesidade. Para os cientistas que fizeram parte deste grupo de trabalho, basta uma chávena e meia de uvas pretas por dia para ter uma redução significativa da quantidade de açúcar no sangue e dos níveis de colesterol nos animais. Depois de analisarem os tecidos destes animais chegaram à conclusão que duas proteínas se encontravam mais activas, nomeadamente a PPAR e a PPAR-gama. São precisamente estes compostos os responsáveis pelo processo de metabolismo do açúcar e gordura das células. O investigador acredita ainda que químicos como o ácido elágico fazem ligações com os receptores de duas proteínas, a PPAR-gamma e a PPAR- alfa, contribuindo para a melhoria do metabolismo de gordura e glucose.

Trocar os medicamentos que normalmente são receitados para doentes não é o objectivo deste trabalho, garantiu Neil Shay. O intuito é ajudá-los a seleccionar alimentos que sejam típicos e fáceis de encontrar e, assim, ajudar a atingir benefícios para a sua saúde. Assim, ir às compras e comprar fruta que sabemos que nos fazem bem, como as uvas pretas, deve ser um hábito enraizado no seu dia-a-dia, tal como aconselhou o investigador.