Durante largos anos o leite fez parte da roda dos alimentos, até ao dia em que se verificou que as suas características não são favoráveis ao organismo dos seres humanos. Apesar do que os anúncios nos têm dito durante décadas, os seres humanos não têm nenhuma exigência nutricional do leite. De acordo com um novo estudo realizado por um professor de Harvard, David Ludwig, este alimento, quer seja magro, meio-gordo ou gordo, pode fazer-nos mais mal do que bem, devido aos açúcares do leite (lactose).

Mas se acha que beber leite magro ou desnatado vai fazer melhor, engana-se pois Ludwig e Willett descobriram que, ao reduzir a gordura no leite, a ingestão desses tipos de leite reduz a sua capacidade para satisfazer o apetite (algo que gordura faz) e pode levar a que as pessoas comam mais do que o suposto, pois o leite não sacia a fome. Muitas vezes, a gordura do leite magro é substituído por açúcares e carboidratos refinados, promovendo assim a obesidade e diabetes tipo 2.

"A substituição de leite com pouca gordura adoçado por leite sem açúcar - o que reduz a gordura saturada por 3 g, mas aumenta o açúcar por 13 g por copo - prejudica claramente a qualidade da dieta, especialmente numa população com o consumo excessivo de açúcar", afirma Ludwig.

Outras das desvantagens de beber leite animal são por exemplo o aumento de problemas de pele, sinusite, asma e o aumento do Ph do corpo. Isto acontece devido às hormonas da vaca, que são mais fortes do que as nossas, prejudicando o bom funcionamento do nosso organismo.

As conclusões deste estudo de Harvard são um choque para muitos, pois há vários anos que o movimento anti-leite foi uma luta constante de nutricionistas, vegans e estrelas de Hollywood como Gywneth Paltrow, que dizem que o leite é de certeza o alimento perfeito da natureza ... se for um bezerro. Hoje em dia já existem muitas alternativas ao leite que podem fornecer cálcio e outros minerais como o leite de soja, de amêndoa, de arroz, de aveia, de coco, laranjas, feijão branco, brócolos, tofu, sementes de chia, girassol e sésamo, sardinhas e rúcula.