O projeto pretende que os alunos do mestrado em Design Industrial e de Produção, da Faculdade de Engenharia do Porto, concebam sapatos para estas pessoas, possibilitando-lhes uma melhor mobilidade. Aliar a estética ao conforto é outro dos propósitos, permitindo ainda a sua comercialização por uma empresa de calçado nacional, também envolvida na iniciativa. Na apresentação do projeto, na passada segunda-feira, esteve Rita Redshoes, madrinha da iniciativa e os primeiros esboços surgiram já nesse dia, como adianta a página de Notícias da Universidade do Porto, no âmbito de um workshop na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Em dois dias os alunos, divididos por equipas e em contacto com pessoas com paralisia cerebral, começaram a desenhar os modelos.

O projeto prossegue agora durante as aulas da cadeira de Projeto Design Industrial naquela faculdade. Lígia Lopes, da FEUP, e Matt Dexter, de uma universidade no Reino Unido, serão os coordenadores do projeto que conta ainda com a participação de Lia Ferreira, arquiteta e provedora do Deficiente da Câmara Municipal do Porto. Em julho deste ano os modelos concebidos no âmbito do projeto "Rita.Red.Shoes" serão expostos em Sheffield, Reino Unido, na Conferência Design4Health 2015. Depois os resultados voltam a casa, ao Porto, e integram o programa BIN@PORTO. #Inovação

A paralisia cerebral é uma lesão no cérebro provocada, na maioria dos casos, pela falta de oxigenação das células cerebrais. A patologia ocorre sobretudo na gestação, podendo acontecer ainda no momento do parto ou depois do nascimento, quando cérebro da criança se desenvolve. É uma lesão que acontece quando o sistema nervoso central está em desenvolvimento. Afeta cerca de 2 em cada 1000 pessoas, sendo mais comum nas crianças. A principal incapacidade é a motora, tornando a mobilidade difícil, o que resulta em dificuldades em andar ou usar os braços e as mãos. Com este projeto os alunos do mestrado provam as vantagens do design para o bem estar humano, assim como colmatam algumas falhas nesta matéria, abrindo portas para novos projetos.