São conhecidos os problemas graves que os EUA têm no que diz respeito a obesidade, principalmente obesidade infantil, pelo que os especialistas da Escola de Saúde Pública de Harvard decidiram colmatar as deficiências do chamado MyPlate, elaborado pelo Departamento de Agricultura, em vigor desde 2011 e que contém as recomendações do governo norte-americano para uma alimentação saudável. Ao lado é possível ver a imagem que resulta da proposta de Harvard e que vamos dissecar de seguida.

Em termos de percentagem, é dada uma maior importância aos vegetais e frutos, sendo recomendado que ocupem metade da refeição, salientando que deve ser dado ênfase à variedade e lembrando que as batatas não contam como vegetais, devido ao seu impacto negativo na quantidade de açúcar no sangue. Também refere a importância dos cereais, recomendando que ocupem um quarto da refeição e referindo a vantagem de ter comidas feitas com aveia e cevada, por exemplo, já que estes cereais têm um efeito mais suave no nível de açúcar no sangue do que o pão branco, arroz ou outros cereais refinados.

Com a mesma porção surge a proteína, sendo recomendadas como principais fontes peixe, galinha (ou carne de aves em geral), leguminosas e frutos secos, podendo ser misturados em saladas ou acompanhados com outros vegetais. Aconselha-se também a limitação e redução do consumo de carnes vermelhas e de carnes processadas, tais como bacon e salsichas. Quanto a óleos, recomenda óleos vegetais saudáveis, consumidos com moderação, tais como azeite, óleo de canola, de soja, de girassol, de amendoim, entre outros, evitando óleos que passaram pelo processo de hidrogenação e que contenham gorduras saturadas pouco saudáveis, um dos grandes responsáveis pelo aumento do colesterol.

No que diz respeito às bebidas, é recomendado o consumo de água, café ou chá, evitando a todo o custo refrigerantes; é aconselhado limitar o consumo de leite e lacticínios a apenas a uma ou, no máximo, duas vezes por dia e ainda limitar o sumo a um pequeno copo por dia. Terminam com a recomendação de que ter uma vida activa é igualmente importante no controlo do peso e na vida saudável de qualquer indivíduo.