O texto, em forma de sátira, descreve uma lista de doentes VIP que merecem atenção especial do INEM em caso de socorro. Tudo porque a comunicação social deu conta de que o presidente do organismo está a ser investigado por ter autorizado o transporte de helicóptero de uma doente que, por acaso, era sua amiga. O problema é que essa amiga não tinha autorização para andar de helicóptero por causa do cancro de pulmão em estado avançado.

A polémica estalou e começaram os argumentos de parte a parte. Os hospitais que receberam ordens, os médicos que não aconselharam o transporte e Paulo Campos que "não sabia em que estado estava a amiga" e por isso não viu inconvenientes para a deslocação. O certo é que o Hospital de Cascais nunca antes tinha visto um helicóptero por lá e o Hospital de Abrantes, para onde foi transportada a senhora, diz que não tem responsabilidades de nada.

Utentes irritados com a notícia

Um dos sítios de internet que se identifica como portal dos bombeiros, publicou um texto em que afirma existir uma lista VIP de doentes, elaborada pelo presidente do INEM. Para se entrar nessa lista restrita é preciso "ser amigo no Facebook do presidente", já que na maior parte dos casos "o contacto para se acionar o helicóptero parte do telemóvel do presidente ou do messenger". Para dar mais contorno à história, o portal diz ter entrevistado Paula Bobone, uma conhecida especialista em etiqueta e boas maneiras, que esclareceu a necessidade de se escolherem as pessoas que andam de helicóptero por causa dos enjoos.

Nos comentários à notícia é possível perceber que se trata de um texto humorístico que, no entanto, está a circular nas redes sociais e a gerar a revolta de muitos utilizadores. O título de que há uma lista VIP na saúde faz com que as pessoas nem leiam o resto e tenham de imediato uma reação intempestiva contra o governo e contra o sistema nacional de saúde. Paulo Campos não tem conta do Facebook e o caso que motivou o texto está sob investigação, cujas conclusões não foram ainda reveladas.