O alerta foi deixado esta terça-feira, dia 17, pelas autoridades de saúde francesas. Recorrer a próteses mamárias pode aumentar o risco de cancro. Isto surge depois do aparecimento de diversas situações de mulheres com implantes que padeceram desta doença. Em virtude destes dados, a Agência Nacional de Segurança do Medicamento irá realizar um evento onde procurará reunir vários especialistas, dentro dos próximos dez dias, no sentido de averiguarem se há ou não a necessidade de proceder à alteração das regras de utilização destes implantes. A sua proibição está, aliás, também em cima da mesa de discussão, tal como assegurou François Hébert da ANSM.

Falemos concretamente em números. Nos últimos três anos foram registados 18 situações, uma delas resultou em morte, de linfoma anaplásico de células grandes em pessoas do sexo feminino com implantes. Por todo o mundo, existem 173 casos deste tipo de linfoma. Parece um despropósito quando em França existem 400 mil mulheres com implantes. O que fazer? Todas terão de retirar os referidos implantes? As autoridades de saúde francesas querem, numa primeira análise e enquanto não está concluído o relatório dos profissionais da ANSM acerca desta temática, garantir que os médicos transmitem essa mensagem às pacientes, alertando-as para este novo risco.

Das 18 situações mencionadas anteriormente, chegou-se à conclusão que os linfomas foram descobertos entre os 11 a 15 anos após a introdução dos implantes, sendo ainda que as mulheres tinham idades compreendidas entre os 42 e os 83 anos. Quanto ao fabricante das próteses, concluiu-se que dos 18 casos, 14 tinham sido produzidas pelo Allergan, empresa que tem actualmente 30% de quota no mercado francês nesta matéria das próteses mamárias. De acordo com os especialistas, o problema do implante não se encontra no conteúdo mas sim no revestimento do mesmo. A propósito disto, Hébert garantiu que, entre 2012 e 2013, à margem das inspecções feitas à marca Allergan, não foi registada qualquer anormalidade, pelo que é premente fazer uma análise muito minuciosa dos dados.

Recorde-se que no início do passado mês de Março, foi deixado um alerta a todos os médicos pelo Instituto Nacional do Cancro de França. Ao menor sinal da presença deste linfoma, esta entidade solicitou uma rápida actuação dos especialistas, defendendo haver uma clara associação entre a doença e o recurso a um implante mamário. #Beleza