O Grande Prémio Bial foi hoje, 8 de Abril, entregue numa cerimónia que contou com a presença do Presidente da República Aníbal Cavaco Silva. A cerimónia teve lugar na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Miguel Seabra e a sua equipa foram os justos merecedores deste prémio pelo trabalho que têm vindo a desenvolver na descoberta de uma terapia que tem produzido excelentes resultados nos pacientes com coroideremia.

Esta doença afeta pessoas do sexo masculino e conduz à cegueira quase total a partir dos 50 anos. Pode ser detectada em criança, quando é diagnosticada perda de visão noturna. O prémio abrange ainda as investigadoras Sara Maia e Cristina Pires da unidade de Mecanismos Moleculares da Doença do Centro de Investigação de Doenças Crónicas, em Lisboa, e Tatiana Tolmacheva, do Imperial College de Londres.

Prémio Bial de Medicina Clínica 2014

A equipa de investigadores de Jorge Polónia recebeu um montante de 100 mil euros pela investigação feita sobre o impacto do sal na saúde. Este estudo teve como público alvo os portugueses, tendo chegado à conclusão que, em média, o português consome o dobro da quantidade de sal recomendada pela Organização Mundial de Saúde. Jorge Polónia contou com a colaboração dos seus colegas médicos Luís Martins, Jorge Cotter, Fernando Pinto e José Nazaré.

Menções honrosas

Foram ainda entregues duas menções honrosas no valor de 10 mil euros cada. A equipa de Tiago Bilhim, pertencente à Universidade Nova de Lisboa foi uma das premiadas pela implementação de uma técnica pouco invasiva no tratamento de hiperplasia benigna da próstata.

A outra menção honrosa coube a José Castillo e à sua equipa, Francisco Campos e Tomas Sobrino, da Universidade de Santiago de Compostela, por terem desenvolvido um tratamento que permite diminuir as lesões que são provocadas pela morte das células do cérebro, quer em doenças degenerativas, quer em caso de acidentes vasculares cerebrais.

Presença do Presidente da República

Cavaco Silva fez questão de referir na cerimónia que a forma como Portugal vai desenvolver a ciência, determinará o futuro do país. Fez ainda questão de sublinhar os centros de pesquisa de excelência que existem no país e os investigadores de renome internacional.