A Drª Wenqian Chen clarificou recentemente que as mulheres que tomam a pílula com a intenção de tratar o acne ou aliviar as dores menstruais podem estar a cometer um erro grave contra a sua própria saúde. Segundo a especialista em Medicina Tradicional Chinesa, a pílula vem apenas mascarar o tratamento das condições acima referidas, não tratando efectivamente nenhuma delas. A directora do Centro de Terapias Chinesas defende que é um erro que estes contraceptivos sejam prescritos para tratar algo que na realidade não vão fazer, até porque a toma dos mesmos só vai trazer problemas de saúde a longo prazo para as mulheres que o fazem. Em causa, estão efeitos secundários já comprovados pela toma destes contraceptivos, nomeadamente sangue espesso e problemas no fígado.

A maior espessura sanguínea, muitas vezes causada pela toma destes comprimidos, vem causar um maior risco de embolia, de coágulo sanguíneo, ou ataque cardíaco, uma realidade que é duas vezes superior em casos de mulheres que tomam pílulas de terceira e quarta geração. Ainda associados à toma da pílula estão outros factores que influenciam a vida e a saúde das mulheres, entre eles as varizes, celulite, a retenção de líquidos, quistos, cancro, menopausa precoce e, em alguns casos, pode mesmo chegar à infertilidade.

Para evitar estes problemas futuros, a Dr.ª Wenqian Chen defende que, respectivamente à contracepção, a opção deve recair em métodos mecânicos (preservativo e DIU), de forma a evitar qualquer processo químico que possa alterar o normal funcionamento do organismo da mulher, ou trazer futuramente qualquer tipo de doença indesejada. Já no que diz respeito ao acne, e por este ser causado pelo calor tóxico  interno, devem ser tomadas medidas completamente naturais (acupunctura). O mesmo se aplica às dores e à desregularão da menstruação, que por estar ligada ao baço, ao fígado e ao coração, também não precisa de químico ou ervas para ficar regularizada, mas sim de métodos naturais que estimulem o correcto funcionamento do organismo.