Em Portugal, este vai ser o primeiro transplante de tecido do ovário numa mulher que já sofreu de cancro. A operação vai decorrer no Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC), onde funciona o Centro de Preservação de Fertilidade. Não é conhecida a identidade da paciente nem a data em que se realizará a operação. "Não quero que exista qualquer situação de ansiedade", afirmou Teresa Almeida Santos, directora do Centro de Preservação de Fertilidade. Ainda assim, a directora adianta que o transplante está para breve e que se trata de uma senhora com 32 anos que já ultrapassou um linfoma há mais de três anos.

Este método ainda é considerado uma técnica experimental e pode não ser 100% eficaz, porém já se registaram diversos casos de sucesso em vários locais do mundo. No Brasil, por exemplo, o primeiro transplante de tecido do ovário realizou-se pela primeira vez em 2012. A paciente de 29 anos sofria de menopausa precoce e recebeu uma parte do ovário saudável da irmã gémea. Sendo o único centro público português, o Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC) funciona há 5 anos e preserva a fertilidade a doentes oncológicos. Inicialmente oferecia a criopreservação do tecido ovárico e a preservação de esperma passando, em 2012, a disponibilizar também o congelamento de ovócitos. Já preservou a fertilidade a 275 doentes oncológicos, 188 homens e 87 mulheres, divulgou o centro em Dezembro de 2014.

Os problemas de fertilidade afectam milhões de casais em todo o mundo. Segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) esta é uma doença que atinge de 8% a 15% dos casais em idade reprodutiva. A infertilidade trata-se, cada vez mais, de um problema social e de saúde que acarreta um grande sofrimento a muitas famílias pela impossibilidade de procriar. Neste sentido, o trabalho dos especialistas, nomeadamente na investigação e optimização das técnicas de Procriação Medicamente Assistida (PMA), tem cada vez mais importância já que engloba diversos tratamentos de infertilidade (como a fecundação in vitro e a micro injecção intracitoplasmática de espermatozóide) que possibilitam a muitos casais a realização do desejo de serem pais e, consequentemente, aumentam as taxas de gravidez. #Inovação