As urgências do Hospital Bernardino Lopes de Oliveira, em Alcobaça, estiveram hoje, 7 de Abril, durante hora e meia sem médico. Os utentes tiveram de esperar mais do que o tempo previsto para serem atendidos e houve mesmo quem abandonasse o hospital. Centro Hospitalar de Leiria diz que houve uma "falha" por parte da empresa prestadora de serviços.

A falta de médico nos serviços de urgências aconteceu entre as 8 e as 9:30 horas da manhã, no momento de mudança de turno. O Centro Hospitalar de Leiria, onde está integrada aquela unidade de saúde, refere que aquela situação está a ser apurada junto da empresa contratada para a prestação de serviços médicos nas respectivas urgências. O objectivo é apurar as responsabilidades e fazer com que não se repita no futuro.

A falta de clínico obrigou que vários doentes tenham estado mais de duas horas sem serem atendidos, alguns das quais com pulseira laranja, um dos graus de gravidade mais elevado. Outros acabaram por abandonar o hospital para se deslocarem a outra unidade de saúde.

No entanto, o Centro Hospitalar de Leiria garante que a situação foi resolvida, e que os casos considerados mais urgentes foram atendidos pelo médico internista, face à ausência do médico que deveria prestar serviço nas urgências.

Aquela situação ocorre no mesmo dia em que o Centro Hospitalar de Leiria recebe, numa cerimónia em Lisboa, a Medalha de Serviços Distintos do Ministério da Saúde, grau Ouro. O Hospital Bernardino Lopes de Oliveira, de Alcobaça, passou a integrar aquele Centro Hospitalar de Leiria em 2013, juntando-se ao Hospital de Santo André, em Leiria, e o Hospital Distrital de Pombal.

Antes dessa data fazia parte do Centro Hospitalar do Oeste Norte, que integrava, também, os hospitais das Caldas da Rainha e Peniche. A sua integração no Centro Hospitalar de Leiria resultou de uma reivindicação por parte da população com o apoio da Câmara Municipal. Instalado num edifício centenário, o hospital de Alcobaça foi inaugurado em 15 de Agosto de 1890 e foi construído em parceria pelo Estado português, Câmara Municipal e particulares. Actualmente serve cerca de 98.000 habitantes dos concelhos de Alcobaça (com excepção das freguesias de Alfeizerão, Benedita e S. Martinho do Porto, que continuam a ser atendidas no Centro Hospitalar do Oeste Norte) e Nazaré.