As doenças cardiovasculares continuam a liderar o topo da lista das causas de morte em Portugal e na Europa. Nos últimos anos cada vez mais pesquisas relacionam os hábitos alimentares ocidentais com o aparecimento das chamadas doenças modernas: obesidade, #Cancro e enfartes. Uma #Alimentação saudável é fonte de energia e vitalidade, promove o peso ideal, proporciona um sistema imunitário forte e a médio e longo prazo previne o aparecimento de inúmeras doenças crónicas: hipertensão, colesterol, gastrites, osteoporose, diabetes, obesidade e alguns tipos de cancro.

Regra geral comemos muito e comemos mal. Por isso, a Fundação Portuguesa de Cardiologia lança, neste mês do coração, nos dias 7 e 8 de Maio a 11ª edição do "Desafio do Coração" com o objetivo de sensibilizar a população para a prática de uma alimentação saudável com incorporação de determinados alimentos na dieta diária.

Alimentos que protegem são ricos em nutrientes e pobres em calorias

  • Frutas e legumes

Estima-se que cerca de três milhões de mortes em todo o mundo se devem ao baixo consumo de frutas e de vegetais. Entre os dez principais fatores de risco associados à ocorrência de doenças crónicas não transmissíveis está a reduzida ingestão destes alimentos.

As frutas e vegetais são ricos em nutrientes essenciais ao pleno funcionamento do organismo - antioxidantes, vitaminas, minerais e fibra e têm baixo valor calórico. Para além disso, mais recentemente identificaram-se nestes alimentos milhares de fitoquímicos - substâncias bioativas que oferecem proteção contra as doenças cancerígenas. É o exemplo do licopeno do tomate, do betacaroteno das cenouras ou do resveratrol das uvas.

Foi demonstrado que pessoas que consomem pelo menos 5 doses de fruta ou vegetais por dia têm uma taxa de enfarte e cancro muito baixa, consomem menos alimentos ricos em gordura e açúcar e controlam mais facilmente o peso.

  • Cereais integrais

Os cereais integrais têm alto teor em fibra, um nutriente essencial para uma boa saúde. Mais uma vez a alimentação ocidental é assustadoramente pobre em fibra, o que está na origem de muitos problemas de saúde: hemorroidal, prisão de ventre, varizes, diabetes e vários tipos de cancro.

A fibra diminui o apetite e retarda a absorção dos açúcares contribuindo para a perda de peso. Para além disso, fortalece o sistema imunitário, facilita o trânsito intestinal e contribui para a diminuição do colesterol. Os alimentos com elevado teor de fibra dão-nos uma proteção significativa contra o cancro e contra as doenças cardíacas.

  • Peixes gordos, frutos secos e sementes

A ingestão de peixes gordos, como atum, salmão, sardinha, bacalhau ou cavala, nozes, amendoins e sementes é uma das principais recomendações da American Heart Association. Estes alimentos são ricos em gorduras polinsaturadas, como ácidos gordos essenciais, ómega 3 e ómega 6, que o nosso organismo não consegue produzir e que, por isso, necessita de obter através da alimentação. Estas gorduras têm um papel protetor contra doenças cardiovasculares, doenças degenerativas neurológicas, como o Alzheimer, e certos tipos de cancro.

Estas são as principais recomendações alimentares a ter em conta para um coração saudável e uma melhor qualidade de vida. #Vida Saudável