Já sabemos que a meditação tem uma série de benefícios para a saúde de quem a pratica, como baixar a pressão sanguínea, as hormonas de stress, além de aumentar o foco, a claridade de pensamento e atenção (mesmo quando não se medita) e a eficácia do sistema imunitário. Também vimos anteriormente que a pessoa que medita terá que encontrar a sua própria fórmula para uma meditação eficaz. Essa fórmula terá que obrigatoriamente incluir a escolha de uma posição de meditação. Existem muitas posições de meditação e será aconselhável experimentar algumas até que se encontre adequada. Poderão existir posições mais exigentes fisicamente que outras, pelo que será aconselhável também alguma calma e paciência neste processo. Para uma maior compreensão, incluímos imagens de cada uma das posições mencionadas.

Posição Lótus e Meio-Lótus - Estas duas posições são aquelas que mais se associam à meditação, embora sejam algo difíceis para quem está a começar e não tem muita elasticidade. Será necessário não forçar o corpo para conseguir logo atingir estas posições à primeira tentativa. Algum treino, alongamentos e treino com ioga poderá ajudar a que se torne fácil e, sobretudo, seguro. A posição de Lótus consiste em estar sentado, de pernas cruzadas, com as plantas do pé para cima. As mãos deverão estar sobre os joelhos a fazer os mudras Gyan - serve para a Lótus e Meio-Lótus. A posição de Meio-Lótus também consiste em estar sentado de pernas cruzadas, com a diferença de o pé que está mais à frente ficar com a planta do pé voltada para cima na parte interna da coxa oposta, enquanto o outro deverá ficar por cima.

Posição Birmanesa - Talvez a posição mais simples e confortável para o início da prática. Ambas as pernas estão dobradas no chão, ficando com os joelhos virados para fora e os pés em frente à zona pélvica, um em frente ao outro. Existem variações desta postura, em que os pés podem ficar com as plantas dos pés juntas. Se se achar necessário também se podem ajustar o ângulo dos pés e joelhos para conseguir chegar com ambos ao chão.

Posição do Trono - Para quem tem algumas dificuldades físicas com as posições anteriores, esta posição é uma excelente alternativa. Basta estar sentado numa cadeira de encosto direto, onde os pés estejam colocados totalmente no chão e com as costas apoiadas de forma confortável. Ter em atenção que os ombros deverão estar relaxados, sem estarem curvados e descansar as mãos sobre as coxas. Também se deverá manter o queixo ligeiramente levantado e a coluna direita.

Posição de Joelhos - Outra alternativa possível para as duas primeiras posições atrás indicadas é a de joelhos. Existem bancos específicos para esta posição, ajudando a que se torne mais confortável. Também existe a possibilidade de usar simplesmente uma almofada entre as nádegas e os pés.

Estas serão as mais comuns embora existam muitas mais. Embora seja importante encontrar uma fórmula que surta o efeito desejado, também é igualmente recomendado que se tente várias posições e que se vá experimentando, com a referida calma e paciência, para que a experiência da meditação não se torne também enfadonha e não deixe de trazer os resultados esperados. Existem outros complementos ao processo de meditação e numa próxima ocasião falaremos dos Mudras, os quais já mencionámos anteriormente. #Vida Saudável