Paulo Macedo rejeitou aumentar impostos para financiar a Saúde. No início da semana, o ministro da Saúde mostrou preferência pelos impostos para o financiamento da área. O responsável falou em aumento de custos de saúde nos anos vindouros, alertando para necessidade de discutir as formas de os financiar. O aumento da carga fiscal está, agora, posto de parte.

Após uma conferência em Lisboa, Paulo Macedo explicou que o actual #Governo e a oposição não prevêem aumentar os impostos para financiar a Saúde, excluindo por isso essa possibilidade. Ainda assim, a subida dos custos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) é uma realidade para os próximos anos, pelo que é preciso encontrar soluções para enfrentar esse cenário.

Rigor e combate à fraude

A "receita", diz o ministro da Saúde, reside no lado da despesa e também em manter as políticas "de rigor, combate ao desperdício e à fraude". Paulo Macedo relembrou que o financiamento da saúde dos impostos tem sido feito "de forma solidária e progressiva". Já esta semana, Paulo Macedo frisou que é a carga fiscal que deverá suportar o SNS, mas admitindo que a escolha cabe aos portugueses. Do lado da receita, o governante quer debater possíveis soluções a adoptar.

Aumento dos custos é dado adquirido

Dado praticamente adquirido é que os custos na saúde vão disparar nos próximos anos. É a expectativa de diversos estudos, num aumento de custos acompanhado igualmente de um aumento dos cuidados de saúde. O futuro do SNS pode estar em causa, necessitando de ser sustentável, conforme frisou o economista Pedro Pita Barros no passado domingo, na Feira do Livro.

Investimentos e polémica no INEM

À margem do financiamento do SNS, o INEM está também nas bocas dos portugueses por estes dias. Na semana passada, foi anunciado um investimento de 22 milhões de euros em 50 novos meios de socorro (viaturas de emergência médica, ambulâncias e motas). Por outro lado, os técnicos de emergência estão desde esta quarta-feira em greve às horas extraordinárias, reivindicando melhorias nas suas condições de trabalho.