A utilização de suplementos à base de proteína é já quase que um ritual para quem treina de forma regular, seja quem pratique musculação pura ou num combinado com aulas de elevada exigência cardiovascular. Podendo ser utilizada em conjunto com outros suplementos, a proteína não é mais do que um aliado para a recuperação muscular. A fadiga muscular leva a que os desempenhos nos treinos sejam mais limitados e por sua vez, dificulta a obtenção dos objetivos pré-estabelecidos por cada atleta, estejam eles associados à perda de peso ou ao aumento de massa muscular. Uma das mais utilizadas é a Whey, que é uma proteína isolada de soro de leite pela sua fácil absorção pelos músculos e por possuir um elevado valor biológico.

Apesar da proteína ser a grande aliada de quem treina regularmente, a sua utilização deve ser controlada e tendo por base sempre a recomendação que cada fabricante faz no que diz respeito às dosagens máximas diárias. No entanto, a proteína por si só não faz milagres; sem ser conjugada com uma alimentação saudável e um programa de treinos adequado aos objetivos pessoais de cada individuo não será atingido qualquer tipo de resultado. O excesso de proteína pode causar problemas hepáticos e renais, para além da acumulação de gorduras no organismo. Não nos devemos esquecer que muitos alimentos que consumimos já têm uma boa base proteica, como é o caso da carne de aves, peixe e alguns cerais, pelo que o consumo de suplementos proteicos deve ser apenas um extra, uma vez que a sua absorção é mais direta sem que o organismo tenha de processar os alimentos através da digestão.

Por norma o consumo da proteína, através da sua mistura com um elemento líquido, é feito logo após o final do treino, por ser nesta altura que os nossos músculos estão desgastados e necessitam de proteínas para a sua normal recuperação. É neste curto espaço de tempo que o nosso organismo absorve toda a proteína que é ingerida. Existem muitos atletas que também consomem os seus batidos proteicos logo pela manhã, para quebrar o catabolismo, ou seja, evitam assim que o seu organismo consuma as proteínas do músculo e as transforme em energia, podendo assim levar à sua degradação. Por outro lado há quem opte por consumir as proteínas antes do treino, em vez de as consumir logo pela manhã (no caso de não ir logo treinar). Neste caso, o objetivo é tentar dar ao organismo mais energia para aplicar durante o treino e tendo o metabolismo mais acelerado, mais gordura será queimada. #Fitness #Alimentação #Vida Saudável