São cada vez mais os portugueses que optam por uma #Alimentação vegetariana, nas suas variadas vertentes. Os motivos desta opção estão habitualmente relacionados com a saúde, o ambiente, a ética animal (direitos dos animais; bem-estar animal; especismo), ou, até, com motivos religiosos ou filosóficos. A Direção-Geral de Saúde lançou recentemente um manual, intitulado "Linhas de Orientação para uma Alimentação Vegetariana Saudável", ao abrigo do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. A missão deste Programa é "melhorar o estado nutricional da população, incentivando a disponibilidade física e económica de alimentos constituintes de um padrão alimentar saudável e criar as condições para que a população os valorize, aprecie e consuma, integrando-os nas suas rotinas diárias."

O manual, dirigido tanto a profissionais de saúde como à população em geral, tem como objetivo a apresentação das principais linhas orientadoras para uma alimentação vegetariana saudável, desmistificando a ideia de que este tipo de alimentação é sinónimo de carências alimentares. Pelo contrário, apresenta os vários benefícios do consumo de produtos de origem vegetal e o seu papel na prevenção de várias doenças, nomeadamente a diabetes, a obesidade e doenças cardiovasculares. Este manual alerta para o facto de ainda existir uma grande falta de informação por parte dos profissionais de saúde e educação, estando relacionada com a pouca qualidade que outros formatos semelhantes apresentam.

Em "Linhas de Orientação para uma Alimentação Vegetariana Saudável" é apresentada informação detalhada quanto à adequação nutricional da alimentação vegetariana. São abordados macronutrientes, vitaminas, minerais e oligoelementos essenciais na nossa alimentação, sendo possível perceber quais as fontes alimentares onde os mesmos se encontram presentes. É feito um alerta no que diz respeito a um padrão alimentar mal acompanhado, que pode, ou não, ser vegetariano. No que diz respeito ao vegetarianismo, o manual pretende suprir os possíveis riscos associados à falta de planeamento de uma alimentação que se pretende completa e equilibrada.

No fim do manual, podem ser consultadas "as recomendações mais relevantes para a dieta vegetariana, em termos de distribuição de macronutrientes, ingestão diária recomendada e ingestão máxima recomendada de alguns micronutrientes". "Linhas de Orientação para uma Alimentação Vegetariana Saudável" pode ser adquirido em formato pdf, gratuitamente, através do Blogue Nutrimento, como refere a Direção-Geral de Saúde. #Vida Saudável