Um implante inovador que permite restaurar a função da articulação rádio-cubital distal foi aplicado, recentemente, pelo Serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar de Leiria, anunciou a unidade de saúde numa nota de imprensa. Trata-se de uma cirurgia pioneira no país, que passa pela implementação de uma prótese semi-construtiva ao nível do punho. A prótese está indicada para doentes com artropatias inflamatórias, degenerativas ou pós-traumáticas. A primeira intervenção foi realizada num homem de 42 anos de idade, que estava incapaz de realizar a sua actividade profissional desde há cerca de dois anos.

O cirurgião Edgar Rebelo destaca, na nota enviada à imprensa, os benefícios daquele implante para os doentes, afirmando que aquele tipo de cirurgia “permite minimizar a dor e facilitar a mobilidade, resolvendo igualmente a incapacidade em elevar pesos” o que não acontecia com as técnicas cirúrgicas realizadas até agora. No caso do primeiro doente submetido à operação, o cirurgião refere que o mesmo revelava uma “diminuição da força de preensão e impossibilidade completa de suportar pesos superiores a um quilo”.

Para aquele especialista, citado no documento informativo, os benefícios daquela inovadora cirurgia “são muito grandes”, uma vez que proporciona o regresso à actividade profissional de um “doente jovem e activo” que passa a registar melhorias ao nível laboral, social e até pessoal. Por outro lado, Edgar Rebelo sublinha que, ao realizar, com sucesso aquela intervenção cirúrgica, o Centro Hospitalar de Leiria – que integra os hospitais de Leiria, Alcobaça e Pombal – pode tornar-se num “centro de referenciação para outros hospitais na área da Ortopedia”. A cidade de Leiria poderá, igualmente, acolher médicos internos de especialidade em formação “trazendo mais prestígio” à própria instituição de saúde e ao seu Serviço de Ortopedia.

Aquela primeira e inovadora cirurgia foi realizada por uma equipa médica constituída pelo cirurgião Edgar Rebelo e pela anestesiologista Andreia Mafra, pertencentes ao Centro Hospitalar de Leiria, que contaram com o apoio do cirurgião espanhol Garcia de Lucas, ex-presidente da Sociedade Espanhola da Cirurgia da Mão.

Uma parceria internacional considerada “muito relevante” por Hélder Roque, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria, sublinhando a importância naquela “partilha de conhecimentos técnicos e médicos” que permite à unidade de saúde “adoptar com sucesso alguns procedimentos na prática clínica diária”, lê-se na mesma nota de imprensa.

Por sua vez, o mesmo documento cita José Mousinho, director o Serviço de Ortopedia, que realça a importância da realização daquele tipo de cirurgia numa região onde “o volume de doentes com patologia da mão é muito alto”, até pelo facto de se tratar de uma zona “muito industrializada” com um grande número de operários fabris, onde prevalecem as patologias da mão. #Casos Médicos