Johnny Jackson, uma criança de dez anos residente na Carolina do Sul, faleceu no passado domingo de afogamento seco. Consta que a criança terá estado dentro da piscina uma hora antes do terrível acontecimento! Após a saída da piscina, Johnny Jackson ainda teve tempo de ir a pé para sua casa juntamente com sua mãe. Esta terá dado banho ao filho e ele adormeceu poucos minutos depois. Johnny, segundo ela, não apresentou nenhuns sinais de insuficiência respiratória ou algo do género, sendo encontrado pela mãe pouco tempo depois num estado muito precário, mas já não conseguiu socorrer o menino a tempo!

O que é o afogamento?

De acordo com Espaço da Saúde (Blog Institucional), o afogamento é a morte por asfixia. Quando uma pessoa mergulha num meio liquido, contém a sua respiração, sabendo que muito pouco tempo depois terá de vir até à superfície para respirar. Em muitos dos casos, principalmente em pessoas que não sabem nadar, a pessoa pode entrar em pânico e começa a engolir água, o que automaticamente desencadeia um mecanismo de bloqueio da água pela laringe denominado por laringospasmo. O mecanismo impede a passagem de líquido para os pulmões, acabando por fazer a pessoa engolir o líquido que ficará acumulado no estômago. No entanto, este mesmo mecanismo irá interromper a troca gasosa pulmonar, podendo gerar situações como paragem respiratória e cardíaca, falta de oxigenação no sangue, falta de passagem de ar para os pulmões e perda de consciência.

Mas de que se trata o afogamento seco?

Diferentemente do que ocorre no afogamento "normal", no afogamento seco existe pouca ou nenhuma penetração de água nos pulmões, pois nesta situação o bloqueio das vias respiratórias é de tal forma intenso que não deixa que passe nenhum líquido para os pulmões, causando a falta de oxigenação pulmonar e por sua vez, uma paragem cardíaca e respiratória. Se a vítima for socorrida atempadamente, é possível a recuperação respiratória, caso contrário corre o risco de morte!

Recorde-se que este tipo de afogamento representa 10% dos casos de morte por afogamento! #Casos Médicos