O milagre da #Natureza apoiado cientificamente chama-se Moringa. A planta originária da Ásia e da África, mais especificamente da Índia, pode crescer até 12 metros de altura e foi utilizada pelos hindus, antes de Cristo. E já os romanos, gregos e egípcios a utilizavam pelos seus efeitos curativos e purificantes. Há mais de duas décadas que tem sido alvo de vários estudos e é hoje apontada por botânicos, biólogos e pesquisadores de várias universidades mundiais como sendo uma esperança no combate contra a fome. 

Apesar de haver menos de dez milhões de pessoas com fome no mundo, segundo foi divulgado pela Organização da Nações Unidas - ONU, no seu relatório anual, ainda existem 795 milhões de pessoas subnutridas no planeta, sendo a região da África Subsariana (parte sul) a mais atingida por esta catástrofe. Na Etiópia e no Senegal, a moringa está a ser bastante utilizada e cultivada pelas comunidades da região, sendo plantada e espalhada em diversas plantações de milho, assim também ao redor das cabanas. A sua utilização crescente pelos africanos tem vindo a melhorar a subnutrição deste povo que a tem usado tanto na #Alimentação diária, como em uso medicinal.

A planta possui um alto valor nutritivo e tem: mais proteínas do que o ovo e a carne; mais vitamina C do que a laranja; mais vitamina A do que a cenoura; mais cálcio do que o leite de vaca; mais ferro do que o espinafre; e mais potássio do que a banana. Além disso, a moringa também está a ser usada na despoluição da água. Segundo os pesquisadores do Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais, no Brasil, foi comprovado que as sementes da moringa conseguem remover 99% da sujidade da água, tornando-a mais potável.

A população mundial já pode fazer como muitos etíopes, senegaleses, indianos, filipinos e plantar uma moringa no quintal, no jardim ou em comunidade, e beneficiar-se de todas as suas propriedades. Do seu plantio podem-se utilizar as sementes, as folhas, as flores, as vagens, as cascas e até mesmo a raiz. Pode ser usada na produção de biodiesel, de papel e possui propriedades medicinais que podem curar desde uma simples dor de estômago a doenças como a malária e o cancro. #Ambiente