Em Portugal, as crianças apresentam queixas do foro músculo-esquelético, nomeadamente dores na coluna vertebral (pescoço e costas) que se perpetuam para a idade adulta. Estas dores estão associadas a alterações posturais que advêm de fatores como posições de risco na vida quotidiana e sala de aula, ergonomia desajustada às crianças, sedentarismo e escolha ou uso incorretos da mochila. O conhecimento dos fatores de risco e como preveni-los é essencial para a saúde da criança.

As queixas na coluna resultam do uso incorreto da mochila, de #Mochilas sobrecarregadas, do seu manuseio (pegar e colocar aos ombros) e do transporte por períodos prolongados de tempo. Assim, aconselham-se os seguintes cuidados a ter com a escolha e utilização da mochila:

- Ajustar a mochila ao peso da criança (não deve exceder 10-15% do peso corporal) e à sua altura (zona superior da mochila inicia no final do pescoço e zona inferior ao nível da região lombar, não se sobrepondo ou ultrapassando as nádegas);

- Evitar oscilações da coluna enquanto colocam e retiram a mochila, mantendo o tronco estável;

- Possuir alças ajustáveis (ajustar para altura adequada permitindo retirá-la com facilidade e manter livres os movimentos dos braços) e largas (pelo menos 4 cm para melhor distribuição do peso);

- Usar ambas as alças (melhor para a postura, diminui a pressão ao nível dos ombros, promove melhor equilíbrio e facilita a marcha);

- Utilizar a mochila o mais próximo possível do corpo;

- Distribuir o peso adequadamente (objetos mais pesados atrás) e ter mochila com compartimentos externos (para melhor distribuição do peso);

- Usar cintos adicionais no peito, cintura e ancas (evita oscilações da mochila e permite uma melhor distribuição do peso);

- Utilizar mochilas almofadadas atrás e nas alças (maior conforto; reduz a pressão ao nível das costas, ombros e axilas, evitando compressões patológicas de tecidos musculares e nervosos com consequente dormência e falta de força nos membros superiores);

- As mochilas com rodas podem ser uma boa opção para ir alternando a forma de transporte, no entanto, deve-se ter atenção à postura da criança a puxá-la. #Vida Saudável #Ensino