A Esquizofrenia é uma doença mental caraterizada por um série de sintomas que, em grande parte dos casos, levam as suas vítimas ao desespero. Esta doença, com causa ainda por descobrir, manifesta-se através de alucinações, delírios, alterações de pensamento, alterações de comportamento (falta de afetividade, desconfiança exagerada, diminuição da motivação e demonstração de indiferença), entre outros possíveis sintomas.

Mas como se sente afinal um esquizofrénico?

As vítimas de Esquizofrenia vivem num medo constante, entre a sensação de estarem a ser perseguidas e a assombração por vozes desconhecidas, até que este medo as transforma em pessoas apáticas, irracionais e incapazes de reagir.

Publicidade
Publicidade

Para além de tudo isto, um esquizofrénico fica desprovido de emoções e afetividade, visto que acredita que as pessoas que o rodeiam lhe querem fazer mal.

As alucinações que o atormentam, muitas das vezes, não são meramente visíveis; ele sente e ouve aquilo que só para ele é real, podendo até sentir o cheiro ou sabor de algo desagradável.

Com tudo isto, acaba por alcançar um estado extremo de solidão e aversão a relações sociais, sendo que não consegue distinguir as visões e as vozes com que, por vezes, chega a dialogar, que o criticam e lhe dão ordens a toda a hora, das pessoas que realmente existem, até mesmo das que sempre conheceu.

Tratamento da Esquizofrenia

O tratamento passa, essencialmente, pela reinserção do indivíduo na sociedade, controlando os sintomas da doença através de medicamentos e acompanhamento a nível psicológico.

Publicidade

Neste longo processo, a colaboração da família é um fator primordial, sendo imprescindível, não apenas saberem como lidar perante uma eventual crise, mas também terem conhecimento dos comportamentos que devem evitar perto do membro familiar portador desta doença. Este precisa apenas de sentir-se compreendido e apoiado, o que significa que todas as atitudes levadas ao exagero devem ser totalmente descartadas (ex: demasiado sentido de proteção ou sentimento de pena).

Concluindo, um esquizofrénico deve estar inserido no meio em que vive com a máxima normalidade possível, para que este possa controlar os seus fantasmas e sentir-se um ser humano igual aos que o rodeiam. #Casos Médicos