Quem nunca ouviu dizer que com a idade as doenças mentais se tornam mais frequentes? Será uma verdade ou um mito? Como se diz “a idade não perdoa” e, com o passar dos anos, existem várias fragilidades que vão surgindo. São exemplos a diminuição da força muscular e da resistência dos ossos. Com isto torna-se inevitável a diminuição quer das faculdades físicas, quer das mentais, e tudo isto são fatores que promovem o aparecimento de transtornos mentais. Portanto sim. A idade traz consigo o peso das doenças mentais, mas não se deve apenas a prioridades biológicas.

Determinadas áreas da psicologia, essencialmente a psicologia da personalidade, estimaram que somos fruto de fatores biológicos (a genética) mas não só.

Publicidade
Publicidade

Num estudo sobre a genética comportamental verificou-se que a genética apenas nos influencia em cerca de 40%, sendo o fator ambiental/meio aquele que mais nos influencia, em cerca de 60%.

Com isto, um outro fator que predispõe os mais velhos a transtornos mentais são as influências ambientais. Com o recorrer dos anos deparamo-nos com várias mudanças ao longo da nossa vida, e algumas bem marcantes, como é o caso das perdas. Na #Terceira Idade, esta é uma circunstância que, infelizmente, está muito presente nas suas vidas e pode levar muitas vezes ao isolamento. Mas também devemos ter em conta restrições financeiras, a perda da autonomia, entre outros. Tudo isto em conjunto com os fatores biológicos predispõe as pessoas idosas a doenças mentais.

Transtornos psiquiátricos mais comuns

O Alzheimer é um dos exemplos de que mais ouvimos falar e que mais associamos às pessoas mais velhas.

Publicidade

É uma doença que provoca deterioração global progressiva e irreversível a nível cognitivo. As suas consequências passam por alterações no comportamento, na personalidade e até na capacidade funcional da pessoa (dificultando as atividades diárias).

Ainda não se sabe a verdadeira causa desta doença, mas as investigações nesta área passam por fatores ambientais, perturbações bioquímicas e processos imunitários (referindo-se estes dois últimos a fatores biológicos).

Para terminar, os transtornos depressivos são outro exemplo de um transtorno psiquiátrico que afeta com mais frequência a população idosa e que podem ser de origem genética ou ambiental. Umas das maiores causas é o impacto na qualidade de vida do indivíduo de alterações sociais negativas, como são exemplo as perdas de entes queridos e a diminuição da atividade. Estas situações estão associadas ao desenvolvimento da depressão. #Casos Médicos