Dia 20 de fevereiro marcou o início de uma ação de sensibilização levada a cabo pela Câmara Municipal de Palmela e pelo Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA). O principal objetivo fica marcado pela relevância de uma exoneração correta dos resíduos e dos entulhos. Deste modo, o concelho palmelense encontra-se dedicado a proteger não só o ambiente, mas também a saúde pública da sua população. Melhorar a imagem da sua região está também na ordem do dia.

Ao longo dos próximos dias, toda a área de jurisdição do concelho de Palmela, será alvo de uma sessão de consciencialização, desenvolvida pelo Gabinete Jurídico e de Fiscalização, e pela Divisão de Águas e Resíduos Sólidos Urbanos da autarquia palmelense. Nesta iniciativa estará igualmente envolvida uma equipa do SEPNA, composta por três elementos e comandada pelo Chefe do Núcleo de Proteção Ambiental do Destacamento Territorial de Setúbal, 1º Sargento Paulo Morgado.

No seu dia de abertura, o evento ficou marcado por cinco intervenções de esclarecimento face à contínua, incorreta e indiferenciada deposição de lixos. Cada uma das freguesias do concelho de Palmela viu vários autocolantes serem colocados nos contentores da sua área, nos quais consta toda a informação relativa aos dias e locais mais indicados para a deposição dos resíduos e dos entulhos, em conformidade com as normas em vigor do Regulamento Municipal de Resíduos Sólidos e de Higiene e Limpeza Urbana do concelho de Palmela.

As intervenções englobaram ainda a limpeza de 7600 kg de resíduos recolhidos em vários espaços públicos destas freguesias. Relembre-se o facto de mensalmente serem recolhidas, neste concelho, cerca de 400 toneladas de resíduos depositados indevidamente.

Esta consciencialização vai ainda abarcar um reforço das autoridades competentes face à ação fiscalizadora e punitiva destes graves crimes ambientais. Qualquer violação ocorrida sofrerá a aplicação de coimas entre 50,50€ e 5050,00€, elevadas ao dobro no caso do infrator se tratar de pessoa coletiva.