Os casos de possível negligência médica geram sempre enorme revolta nas pessoas. A situação relatada nesta notícia aconteceu durante o passado fim-de-semana. Uma mulher com 64 anos de idade caiu de uma rampa de acesso junto à entrada do hospital Nossa Senhora do Rosário, situado no Barreiro, e ficou bastante combalida e ferida com gravidade. Estando à porta de um hospital era esperado que recebesse assistência médica imediata mas tal não sucedeu.

Estando a mulher sozinha no hospital vários foram os populares que tentaram prestar auxílio e que se deslocaram às urgências a pedir socorro. No entanto, o mesmo foi-lhe negado sob o argumento de que o procedimento a seguir seria contactar o 112 e chamar o INEM ao local para prestar a devida assistência e cuidados médicos. Testemunhas referem que nem se dignaram a ir ao local verificar o estado da senhora. A assistência demorou cerca de uma hora a chegar ao local e durante esse período de tempo a senhora esteve deitada na estrada à porta da referida unidade hospitalar. Foram os bombeiros locais que acabaram por prestar assistência à vítima e são essas imagens que circulam pelas redes sociais, em que a mulher surge deitada na estrada tapada com um lençol.

A administração do hospital já reagiu em comunicado e refere que está a tomar todas as medidas necessárias para averiguar este caso. Há também uma reação pública por parte da Ordem dos Médicos a condenar esta situação, que representa uma violação do código deontológico e exige também que este caso seja investigado a fundo. Um médico nunca pode negar assistência a um doente.

Este é mais um caso de negligência que envolve o hospital Nossa Senhora do Rosário situado no Barreiro. Um utente apresentou uma queixa contra o hospital por um caso que o envolveu em 1994. Quase 20 anos depois o hospital acabou por indemnizar o utente em 72.5 mil euros. O utente em questão acabou por perder um terço da sua perna esquerda devido a um erro médico. O acordo foi alcançado antes de qualquer decisão em tribunal. #Casos Médicos