Depois de uma longa discussão, uma mulher esfaqueou a própria mãe tendo-se atirado, de seguida, da janela da cozinha do prédio onde habitava, no passado domingo, dia 5 de junho. O incidente aconteceu no primeiro andar do prédio da frente representado na imagem, na Rua Dom João de Castro, em Almada. Ambas as mulheres sofreram ferimentos, pelo que tiveram de receber tratamento hospitalar.

Os vizinhos destas duas mulheres entraram em pânico devido principalmente aos gritos e aos barulhos que se fizeram ouvir nas redondezas deste prédio, resultantes do desentendimento entre mãe e filha. De acordo com os dados recolhidos pelo Correio da Manhã, este incidente aconteceu por volta das 10h00 da manhã do passado domingo. As duas mulheres começaram a discutir e eis quando uma delas decide esfaquear a própria mãe no braço. Depois deste grande aparato, a agressora decidiu pendurar-se na janela da cozinha ameaçando várias vezes que se atirava. A mulher de 22 anos acabou por cair da janela onde estava pendurada, ficando, desta forma, com alguns ferimentos.

Já foram recolhidos os depoimentos de vários vizinhos destas duas mulheres e todos eles dizem que não sabem qual foi a origem da discussão inicial entre elas. No entanto, muitos foram os vizinhos que afirmaram ao Correio da Manhã que este não foi o primeiro incidente do género. Segundo testemunhas, a agressora já teria sido protagonista de outra agressão no passado dia 17 de maio.

Uma das vizinhas que prestou declarações aos meios de comunicação social referiu que inicialmente se ouviram muitos gritos, logo pela manhã de domingo. Assustada com a situação, esta vizinha foi ver o que se estava a passar na sua rua e deparou-se de imediato com uma mulher pendurada numa das janelas do seu prédio onde já estavam várias pessoas a tentar evitar a queda e os posteriores ferimentos desta mulher de 22 anos. Esta vizinha acrescentou ainda que esta mulher tem antecedentes psiquiátricos não tendo sido a primeira vez que esteve envolvida em situações do mesmo género. #Crime #Violência #Tragédia