Um homem foi abatido a tiro depois de ter agredido com um machado e uma faca um agente da Polícia de Segurança Pública (PSP). O policial, que sofreu ferimentos na zona do peito e do pescoço, foi transportado em estado grave para o hospital, mas sem correr risco de vida. O outro agente da PSP, que também estava no local, foi igualmente agredido pelo alegado agressor, tendo recebido tratamento hospitalar. O caso aconteceu na manhã desta quarta-feira, 7 de Setembro, no concelho da Moita, e está a ser investigado pela #Polícia Judiciária.

Tudo aconteceu por cerca das 11 horas da manhã desta quarta-feira no Vale da Amoreira, naquele concelho do distrito de Setúbal. Os dois agentes da Polícia de Segurança Pública, que habitualmente dão cumprimento a notificações judiciais, abordaram um indivíduo, na Avenida Almada Negreiros, sobre o qual recaía, supostamente, um mandado de detenção. No entanto, ao ser abordado pelos policiais, com vista à sua identificação, o homem respondeu com agressividade tendo atacado um dos agentes da Polícia com um machado e uma faca, provocando-lhe ferimentos na zona do peito e pescoço. A vítima foi socorrida no local e transportada, em estado grave, para o hospital do Barreiro. O outro agente da PSP também foi agredido pelo mesmo indivíduo, sofrendo golpes num braço, tendo sido igualmente assistido na mesma unidade hospitalar. Uma versão relatada pela comissária Maria do Céu, da PSP de Setúbal, em declarações aos jornalistas, adiantando que no decorrer da agressão, um dos agentes teve de utilizar a sua arma de serviço, disparando-a, em legítima defesa.

Apesar de não estarem esclarecidas todas as circunstâncias em que ocorreu aquela agressão, sabe-se que o alegado agressor foi atingido por um tiro, não tendo conseguido sobreviver aos ferimentos. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária, que enviou para o local uma equipa de investigadores e peritos forenses, tendo também ouvido o testemunho do agente da PSP que sofreu ferimentos mais ligeiros. No local estiveram, também, cerca de quatro dezenas de operacionais dos bombeiros das corporações da Moita e do Barreiro (Sul e Sueste), bem como patrulhas da Polícia de Segurança Pública da Guarda Nacional Republicana. #Crime