Um jovem militar madeirense, de apenas 20 anos, morreu depois de se ter sentido mal no decorrer de um treino do curso de Comandos. A causa da morte, segundo informa uma nota enviada pelo Exército português, foi um “golpe de calor” que acabou por ter um desfecho trágico. A #Tragédia aconteceu no domingo, 4 de Setembro, na região de Alcochete, no distrito de Setúbal.

A mesma fonte informa que o militar frequentava o 127º curso de Comandos e que se sentiu “indisposto” durante uma prova de tiro reactivo, pelas 15h40, acabando por ter de ser assistido pelo médico que estava a acompanhar a instrução. Entretanto, o médico diagnosticou-lhe “um golpe de calor”.

A vítima, natural da Ribeira Brava e residente no Campanário, teve de ser retirada da instrução e foi transferida para a enfermaria de campanha, onde foi obrigada a permanecer em observação. Com o passar do tempo, a situação agravou-se e, depois do jantar, o médico de serviço ordenou que o jovem fosse levado para um hospital. Ainda antes de chegar à unidade hospitalar, uma paragem cardiorrespiratória provocou-lhe a morte.

O Exército português dá conta ainda de um outro militar que sofreu um “golpe de calor” e que teve de ser transportado para o hospital. O homem foi primeiramente retirado e levado para a enfermaria local, à semelhança do que aconteceu com a vítima mortal, e só mais tarde, por volta das 23h40, é que foi transportado para o hospital do Barreiro para ser alvo de uma observação mais detalhada.

De momento o caso já está a ser investigado pela Polícia Judiciária Militar, que irá realizar todos os esforços para apurar as causas detalhadas que levaram a que o jovem madeirense protagonizasse este episódio trágico.

Apesar da vítima mortal e do militar que sofreu ferimentos devido ao tempo quente que se fez sentir no dia de ontem, os treinos militares previstos para o dia de hoje irão continuar a decorrer. Foi esclarecido nesta segunda-feira que os mesmos irão ser adaptados ao enorme calor que se fará novamente sentir. #Casos Médicos