Foi no fim da tarde desta terça-feira (28 de Março), aproximadamente pelas 20h30, que a Polícia de #Segurança Pública (PSP) foi alertada para mais um caso de violência doméstica, desta vez em Setúbal. De imediato, a PSP enviou uma patrulha para o local. Ao chegarem à residência, os agentes bateram com insistência à porta mas sem sucesso. De seguida, fizeram várias tentativas de contacto com a vítima via telefone, que se revelaram infrutíferas. Mas assim que foram perceptíveis gritos vindos do interior da residência, os agentes da PSP prontamente procederam ao arrombamento da porta de entrada.

Publicidade

E apesar de uma máquina de lavar roupa ter sido estrategicamente colocada para dificultar a passagem, os polícias conseguiram entrar na casa.

Publicidade

Assim que acederam ao interior da residência, depararam-se imediatamente com uma mulher a gritar por socorro, enquanto o suspeito a tentava agarrar. Mas os polícias detiveram e manietaram o indivíduo de imediato

A vitima encontrava-se grávida e, por apresentar vários ferimentos devido às agressões, necessitou mesmo de assistência hospitalar.

De acordo com a edição online desta quarta-feira do “Diário da Região”, o suspeito já tinha antecedentes do mesmo tipo de #Crime (violência doméstica). Entretanto ficou nas instalações da PSP até ser presente a um tribunal para um primeiro interrogatório judicial e para conhecer também quais as medidas de coacção que lhe serão aplicadas..

Publicidade

Aumento dos casos de violência doméstica

Os casos de violência doméstica aumentam de forma assustadora a cada dia que passa. Este é o terceiro tipo de crime em que mais vezes os magistrados evitam julgamento dos agressores a troco de multas, donativos ou mesmo programas de tratamento. Segundo o relatório anual da APAV, somente no ano passado (2016) ocorreram, por semana, uma média de 19 agressões contra idosos e 16 contra homens. Já as mulheres perfizeram 82% das vítimas, o que significa uma média de 100 vítimas por semana, ou seja, cerca de 14 por dia. É, por isso, imperativo combater este tipo de crime, de modo a se tentar reduzir os números assustadores de vítimas que existem. #violencia domestica