Homofobia, preconceito ou agressão sem sentido? Qual a resposta para este caso? Como já fontes de informação avançaram, na madrugada do passado dia 8 de Dezembro, no nosso país, mais concretamente na Praça da República, na cidade do Porto, uma mulher de 28 anos foi supostamente espancada por um taxista. Qual o motivo? A vítima revela que ao despedir-se da amiga lhe deu um beijo de boca. A vítima diz ainda que ao dirigir-se para um táxi pede para ser transportada para Gaia. E o imprevisível acontece… O taxista não arrancou e em vez disso agrediu a passageira a murros e pontapés.

Depois de contactada a empresa de táxis para a qual o agressor de 40 anos presta serviços, somos informados que o caso não aconteceu devido ao "beijo" e nem sequer é um caso de homofobia mas ocorreu porque a rapariga estava alcoolizada e queria entrar à força para o táxi com um copo de vidro na mão, provocando o taxista. Aí então surgiu a agressão. Relativamente ao responsável pela companhia de táxis, o mesmo afirma que o agressor arrisca ser expulso, e que não foi um caso de homofobia visto estarem habituados a trabalhar com "todo os tipos de pessoas".

Agora pergunto eu… O que significa "todo o tipo de pessoas"? Logo essa expressão não mostrará o preconceito a todos os níveis? Uma coisa é certa. Não sabemos se o motivo da agressão foi "o beijo" entre duas jovens do sexo feminino ou a provocação por motivos alcoólicos. Mas, sabemos que seja qual for a situação, não existe razão para espancar uma jovem de 28 anos. Iremos dizer que o taxista agiu em legítima defesa? Ou será que estamos a entrar num clima de agressão voluntária e que ao mínimo detalhe devemos espancar pessoas?

Sinceramente, julgo que caminhamos a passos largos para uma sociedade agressiva e que o forte vence o fraco constantemente. Agora, seja homofobia, preconceito ou agressão... É crime! E o crime deve ser punido, não basta o taxista ser despedido. Algo mais deve ser feito para evitar que situações deste género voltem a acontecer! #Justiça