"Ano novo, vida nova". Esta poderia muito bem ser a frase mais dita no final de cada ano. Ao toque das doze badaladas olha-se para trás, analisa-se o que se fez e o que se deixou de fazer e parte-se para o novo ano com novos desafios em mente. Neste tempo de "balanços", as expectativas saem reforçadas e a pressa de mudar velhos hábitos é cimentada. Mas nem tudo é um mar de rosas e no final muitas das resoluções lançadas acabam, novamente, por não serem cumpridas. Vejamos, então, quais são os principais desejos.

No caso das mulheres, há sempre uma ideia em mente: perder peso. Para tal, as dietas rápidas não são a solução. Lembre-se que perder peso é uma decisão de continuidade e é uma questão de mudança de hábitos alimentares. Faça, por isso, uma listagem daquilo que tem de mudar com a máxima urgência na sua alimentação e dedique-se com afinco à prática de exercício físico.

Deixar de fumar é outro dos grandes anseios. Mas esta é mais uma daquelas decisões que não são fáceis. Colocar de parte alguns cigarros é uma opção extremamente viável. Não corte, reduza. Esse é o lema. Mas aproveite a ressaca do ano novo e deixe essa decisão para depois do dia 2 de Janeiro.

Há ainda quem queira aprender mais. A aprendizagem ao longo da vida é uma óptima forma de se sentir activo. Encontre, por isso, a sua vocação, uma área que o deixe verdadeiramente apaixonado e parta à descoberta. Invista na sua formação.

Sendo o desemprego um dos principais flagelos deste século, encontrar um emprego tem sido outro dos grandes objectivos para o novo ano. Janeiro é uma boa oportunidade para o fazer. Nunca perca a esperança, não desista. O seu momento poderá estar a chegar e 2015 poderá muito bem ser o seu ano.

Já para os que têm emprego, o objectivo para o novo ano passa por poupar mais, o que nem sempre se afigura uma tarefa fácil. Com os aumentos dos preços e a diminuição do poder de compra, poupar há muito que não faz parte do quotidiano de muitas pessoas. No entanto, é possível. Faça um orçamento familiar, analise as suas despesas e coloque de lado as que são dispensáveis. Estabeleça ainda um prazo para pagar as suas contas ou, como tem sido frequente, peça ajuda ao seu banco e crie uma conta poupança.

São muitas as resoluções para 2015. Importa saber se serão efectivamente cumpridas. De acordo com um estudo desenvolvido pela Universidade de Scranton, nos EUA, as pessoas não conseguem cumprir as suas promessas de ano novo. Em termos concretos, cerca de 8% dos entrevistados consegue levar os desafios até ao fim, ao passo que 75% apenas se esforça durante a primeira semana. Não basta pegar num papel e numa caneta e escrever. Assuma a responsabilidade e decida definitivamente que rumo dar à sua vida. Feliz 2015! #AnoNovo2016