Os matraquilhos poderão vir a fazer parte do panorama do desporto escolar. A Federação Portuguesa de Matraquilhos e Futebol de Mesa (FPM) está a contactar escolas e autarquias para que em cada escola exista uma mesa de matraquilhos. Vitor Bessa, presidente da associação, disse à agência Lusa que o objectivo é trazer mais praticantes à modalidade, através da organização de um campeonato de escolas e universidades. O projecto deve arrancar ao longo de 2015 para estar no terreno em 2016. Vítor Bessa aponta a necessidade de combater os jogos electrónicos como grande vantagem educativa da ideia.

Vítor Bessa falava durante o Campeonato Nacional de Matraquilhos, evento que decorreu na Covilhã e que contou com cerca de 400 jogadores. Fundada em 2007, a organização conta actualmente com cerca de mil praticantes federados, e competitiva a nível internacional. A selecção nacional de juniores sagrou-se campeã mundial desta modalidade em 2012 e 2013. 

O Blasting News falou com Teresa Sousa, mãe de dois filhos (9 e 12 anos) residente na Grande Lisboa. Questionada sobre esta questão, Teresa começou por se certificar da veracidade da existência da federação. "Isso é a sério? Existe uma federação de matraquilhos, como a federação de futebol, e nos outros desportos?" Confirmada esta situação, a sra. Sousa lembrou que "antigamente havia pessoal que faltava às aulas para ir para os cafés jogar matraquilhos. Á partida, essa ideia de porem matraquilhos nos recreios faz-me confusão". Mas rapidamente Teresa mudou de opinião: "Se os miúdos faltassem por algum motivo relacionado com a escola, era mais fácil de controlar. Realmente, não tenho grande ideia de o pessoal faltar para ficar a jogar à bola dentro da escola." O Blasting News perguntou também sobre comparações com outros desportos existentes nas escolas, e Teresa Sousa reforçou a ideia: "também sempre existiu ping pong, que agora já se chama ténis de mesa e é uma modalidade importante desde que a selecção ganhou aquele campeonato no pavilhão Atlântico, que até lá esteve o Passos Coelho" (Campeonato da Europa, n.d.r.). "Tudo o que distraia os miúdos dos telemóveis e dos electrónicos, por mim é uma boa ideia. A única questão com os matraquilhos é que isso parece-me mais um entretenimento de café do que um desporto, mas ok." Teresa concluiu a entrevista lançando um aquestão: "Será que a federação de bilhar não vai ter uma ideia parecida e querer uma mesa de snooker em cada escola? E já agora, será que também existe alguma federação portuguesa de sueca e jogos de cartas?"  
#Educação