Serão imensos os pais que assistem aos desenhos animados juntamente com os filhos. Talvez seja o fim de tarde de alguns, que para passar algum tempo com as crianças se sentarão num sofá a ver qualquer desenho animado acompanhado pelos filhos. Parece fácil, mas não o é para todos. Rui Pinheiro é pai, e tinha o desejo de partilhar uma sessão de desenhos animados com a filha. Mas havia uma barreira, Rui Pinheiro é surdo e os programas não têm legendas. Este desejo de pai e filha gerou uma onda de solidariedade nas redes sociais.

Foi em finais de Outubro, a filha de Rui Pinheiro, com cinco anos, pediu-lhe para assistirem aos desenhos animados juntos. O pai acedeu ao pedido da filha, mas deparou-se com um problema: os desenhos animados que estavam a ver no canal Disney Junior não tinham legendas, o que deixavam Rui sem conseguir perceber o que se passava. Perante esta situação, o que Rui fez foi afastar-se. Porém a filha de cinco anos, não entendendo o que se passava, perguntou, com ar triste, o porquê de o pai não se sentar à sua beira para assistir os desenhos animados. Rui percebeu a importância daqueles momentos para a filha. Não lhe ocorrendo mais nada para fazer, faz uma publicação no Facebook da Disney Portugal pedindo para legendarem os programas, uma vez que a ausência das legendas exclui milhares de crianças surdas. Aquilo que Rui pensava que seria apenas mais uma pedrada no charco acabou por gerar um tsunami: a mensagem tornou-se viral tendo sido partilhada vezes sem conta.

Várias foram as entidades que prestaram apoio a Rui Pinheiro nesta questão, entre elas o Instituto Nacional para a Reabilitação que já disponibilizou a sua colaboração, a Associação Portuguesa de Surdos (APS) e a Federação Portuguesa de Associações de Surdos (FPAS) também manifestaram apoio. A Disney respondeu usando o mesmo meio, e afirma estar empenhada para resolver a situação que é transversal não só aos seus fãs mas a toda a sociedade. Em declarações à Lusa, a Disney Portugal garante que a questão está a ser verificada internamente.