"Sobre o que é que eu vou conversar com ele, sobre os jogos da PlayStation?", foi a reacção de Ana quando descobriu que Luís tinha 16 anos. Apesar do choque inicial, as diferenças foram sendo ultrapassadas e tornaram-se em benefícios. "Se namorasse com uma pessoa mais velha ia ser muito mais aborrecido". Um dos casos em que namorar com alguém mais novo pode tornar a relação harmoniosa e divertida.

O ciúme. Muitas vezes pode ser o fim de uma relação. Em outras, como é o caso de Ana, funciona como um estímulo. A insegurança do sexo masculino deve-se ao facto de ser o elemento mais jovem. Os estilos de vida diferentes do casal reduzem a confiança do elemento mais novo, pouco inserido no ambiente social da parceira. Como consequência, verifica-se a redução dos níveis de auto-estima. O mesmo não acontece com ela.

Na opinião de Fernando Mesquita, "o facto de terem um parceiro mais novo fá-las sentirem-se mais desejadas, interessantes e, porque não mais novas? A imaturidade de alguns homens mais novos pode ser o preço a pagar pelo reforço da auto-estima e o alimentar do ego". Na juventude, as mulheres têm tendência a problematizar situações que, mais tarde, desvalorizam. Quando era mais nova, Rita afirma que tinha mais ciúmes. Hoje é da opinião que todos os casais têm o direito a conversar e a ter amizades. 

Fernanda nunca sentiu ciúme. Ao contrário de muitas mulheres que procuram reviver a juventude perdida, outras procuram a estabilidade que não tiveram. Sentem que têm poder e controlo sobre o seu parceiro. O sexo oposto procura mulheres mais velhas "uma vez que fazem a transferência da figura maternal e procuram a mulher mais experiente e protectora", diz Rui Nunes. Situação que acontece em homens imaturos e pouco autónomos. É o caso de Fernanda, que gere o dinheiro de Jorge a seu pedido. "Eu sou o macho da casa", diz Fernanda, entre risos. 

Susana partilha da mesma opinião. À semelhança de Fernanda, também ela sente que a mulher acaba por fazer o papel de mãe. Isto acontece porque a partir de uma determinada idade se começa a encarar a vida de uma outra forma. O facto de ser mais velha estabiliza a relação, o que leva a uma melhor compreensão de atitudes imaturas. A estabilidade adquirida com o passar do tempo pode dar lugar à instabilidade emocional no casal. A gravidez e os filhos podem ser um problema, quando se trata de um projecto que não é ambicionado por ambos. A partir dos 35 anos surgem riscos na gravidez, o que apressa o relógio biológico da mulher. 

Nem sempre os filhos são um projecto desejado. Muitas vezes procura-se quebrar a rotina. A partilha de actividades culturais comuns torna-se frequente e alargam-se as experiências. Deste modo, as mais velhas passam a frequentar as discotecas e bares dos mais novos, ao passo que estes passam a assistir a eventos culturais completamente diferentes do que estavam habituados. Energia, emoção, companheirismo, desejo e disposição são os afrodisíacos que os mais novos têm para oferecer. Combinados com a segurança, o interesse e a experiência de vida do sexo feminino, estes ingredientes poderão ser a receita para o sucesso de uma relação a dois.

*A pedido dos entrevistados, foram atribuídos nomes fictícios. #Família