Um casal de psicólogos, John e Julie Gottman, estudiosos dos relacionamentos humanos, realizaram um estudo com 130 casais para perceber qual o motivo do sucesso ou insucesso dos relacionamentos. Chegaram a uma conclusão, que por si só, parece demasiado evidente, demasiado simples, mas que faz toda a diferença e todo o sentido. Segundo este estudo, existem duas coisas básicas que fazem com que um relacionamento resulte e perdure no tempo. São elas, a generosidade e a bondade!

Nesta experiência/estudo, denominada "Laboratório do Amor" , era proposto aos casais que realizassem actividades corriqueiras e do dia-a-dia, como cozinhar, limpar e comer. Após estas actividades, os casais foram divididos em 2 grupos, em função do seu desempenho, a um chamaram os "mestres, ao outro os "desastres". Passados 6 anos, os casais foram analisados novamente. Os "mestres" continuavam a sua relação... felizes, os "desastres", ou não continuavam juntos, ou permaneciam no relacionamento, mas... infelizes!

Esta observação permitiu que os psicólogos, concluíssem que a generosidade é fundamental, quando se trata de uma relação e um ingrediente para o sucesso da mesma. Actos do dia-a-ia, como responder com agressividade ou generosidade, é fundamental para a qualidade e futuro da relação. Respostas que demonstrem interesse pelo companheiro(a), denotam generosidade e bondade, criam laços e conexão entre os parceiros. Já respostas ríspidas, desinteressadas ou que que ignorem o companheiro(a), denotam que há algo mais importante do que aquilo que ele(a) apreciam e/ou precisam.

Desta forma, os "mestres", escolhiam... escolhem respostas generosas, que demonstram interesse pelas necessidades emocionais do parceiro(a). Ao invés os "desastres", criam um ambiente baseado na insatisfação, apontando sempre erros ao outro, mesmo nos actos mais simples.

Assim, se quer que a sua relação resulte e dure, se escolher a felicidade com o seu companheiro(a), saiba que a generosidade e bondade podem salvar e aprofundar a sua relação. É só uma questão de escolha... Como tudo na vida! #Família