Desengane-se quem pensa que casamento é sinónimo de infortúnio e infelicidade para o resto da vida. Hoje, e ao contrário do que acontecia há alguns anos, quando duas pessoas se amam, o casamento nem sempre é um passo essencial. Sem um compromisso formal, são muitos os casais que preferem partilhar a mesma casa, antes de formalizarem o seu amor. Neste sentido, o casamento acaba por ser um acto de confiança num futuro a dois, tendo, à partida, todos os ingredientes para fazer ambas as partes felizes. Um estudo desenvolvido por dois investigadores da universidade canadiana da Colúmbia Britânica, Shawn Grover e John Helliwell, vem precisamente reforçar essa ideia. O casamento faz, efectivamente, as pessoas felizes. De acordo com este trabalho, que procurou analisar as informações de três questionários distintos com o intuito de avaliar o nível de satisfação de várias pessoas, antes e depois do casamento, os casados são mais felizes do que os solteiros.

De facto, as pessoas casadas são "mais satisfeitas", sugerindo que o matrimónio tem "um efeito causal", sendo que, aqueles que têm inclinação para casar são ainda mais felizes.

O pico da felicidade ocorre, como seria de esperar, depois do casamento. Mas desengane-se quem julga que este efeito vai desaparecendo ao longo do tempo. Segundo os responsáveis, à medida que o matrimónio vai avançando, o grau de satisfação vai seguindo um padrão em "U", apresentando sinais de deterioração no início da idade adulta e quando se atinge a casa dos 40 anos de idade, momento em que torna a subir. Paralelamente, nas pessoas solteiras, este padrão em "U" é mais acentuado. Porquê? Para os autores, a explicação é simples. Com a crise da meia-idade, as pessoas casadas têm alguém que as apoie e que as ajude a ultrapassar as dificuldades, ao passo que os solteiros não têm esse suporte emocional. Além disso, os aspectos positivos de um casamento são logicamente mais intensos em casais mais próximos. Mais do que marido e mulher, é importante que se trate também de um casal de melhores amigos, salientou o estudo.

Por seu turno, da Universidade do Estado de Ohio, chega também outro trabalho desenvolvido pelo cientista Jay Zagorsky, sobre as tendências de riqueza por estado civil. De acordo com a investigação, os casados não dividem apenas despesas. Há igualmente uma partilha de responsabilidades que pode ser financeiramente benéfica para ambas as partes. As conclusões do estudo de Zagorsky revelam que a riqueza de um casal foi quatro vezes superior à de uma única pessoa.

Saiba então que casar é o melhor caminho para ter uma vida feliz e mais confortável financeiramente. #Família #Curiosidades