A moda das candidaturas a Património Cultural Imaterial da Humanidade parece ter pegado em Portugal. Depois de o Fado e o Cante Alentejano terem recebido o "carimbo" da UNESCO, outras formas de expressão da cultura portuguesa manifestaram a intenção de lutar por semelhante distinção. Foi assim com as Saias Alentejanas e com os Cantares ao Desafio. Agora, é a vez dos Jogos Tradicionais, cuja convenção nacional se realiza este fim-de-semana em Rio Maior.

"Juntamente com 27 países da União Europeia, vamos fazer uma candidatura dos Jogos Tradicionais a Património Cultural Imaterial da Humanidade. Já começámos com a escolha de 24 jogos europeus para serem espalhados por todos os países. Vão ser escolhidas escolas-piloto em Portugal e nos outros países, para poder realizar esse sonho. Mas uma candidatura deste tipo nunca levará menos de três ou quatro anos", afirmou Augusto Figueiredo, presidente da Federação das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto do distrito de Santarém, à RTP.

O dirigente explicou as características que distinguem este tipo tão particular de desporto: "É intergeracional, o avô ensina ao neto como se joga ao berlinde, ao arco ou ao carro de rolamentos ou mesmo como se faz o instrumento; não precisa de árbitro, é tacitamente aceite a regra entre os intervenientes; e contribui para a actividade física, decisiva para a civilização".

Este sábado decorre em Rio Maior a VI Convenção dos Jogos Tradicionais, onde, de acordo com o município local, "os visitantes poderão recordar e jogar ao lenço, ao burro, à macaca, ao pião, ao botão, ao galo, ao sobe e desce, ao prego no cepo, ao arco e gancheta, saltar à corda, andar de carrinhos de rolamentos, jogar ao berlinde e esfera, fazer corridas de sacos, utilizar andas, entre muitos outros jogos tradicionais portugueses, alguns medievais, enquanto se desenrolam os quadros competitivos nas modalidades de Damas, Dominó, Sueca e o Chinquilho/Malha".

Bonecos de Santo Aleixo também são candidatos

Além dos Jogos Tradicionais, também os Bonecos de Santo Aleixo e a Décima poderão vir a ser alvo de uma candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade. Segundo a Rádio Campanário, de Vila Viçosa, a Junta de Freguesia de Orada (Borba) e a Associação de Desenvolvimento Montes Claros e Europalop - Centro de Estudos para o Desenvolvimento, com o apoio da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, estão a preparar o processo. De acordo com a mesma fonte, a concretização da candidatura, que terá a designação de "Cantos de Improviso, Diálogos de Paz entre Culturas", deverá ser efetivada no dia 1 de fevereiro, na Casa do Povo da Orada. A cerimónia decorrerá à margem do 92.º aniversário de António João Morgado, poeta popular e último tocador de guitarra dos Bonecos de Santo Aleixo, estando a cargo do antropólogo Paulo Lima, coordenador da candidatura do Cante Alentejano a Património da Humanidade, reconhecimento obtido em novembro de 2014.