Se estiver num dia "não" ou se, por outro lado, está a passar por um momento maravilhoso e não consegue esconder o sorriso no rosto, saiba que o seu fiel amigo de quatro patas é capaz de perceber as suas emoções. Um novo estudo austríaco publicado recentemente na Current Biology veio mostrar que os cães conseguem reconhecer expressões faciais, mesmo quando estão perante pessoas desconhecidas. De acordo com um dos responsáveis por este trabalho, Ludwig Huber, da Universidade de Medicina Veterinária de Viena, estes #Animais conseguem distinguir uma expressão facial que retrata um estado de alegria e/ou de tristeza em humanos. Os cães têm a noção que se trata de duas expressões antagónicas e são capazes de decifrá-las, não só perante pessoas que conhecem muito bem, como com estranhos. Apesar de não conseguirem dizer com exactidão o significado que estas expressões têm para os animais, é certo que os cães atribuem um significado distinto a expressões felizes e a expressões zangadas, acrescentou ainda o mesmo investigador.

Ao longo desta pesquisa, foram colocados onze cães de raças distintas, entre as quais golden retriever, pastor alemão, fox terrier, entre outros, em frente a ecrãs onde foram surgindo expressões faciais diferentes. Por reconhecerem expressões mais felizes ou mais zangadas, os animais recebiam biscoitos. Curioso é que perante expressões zangadas os cães mostravam-se algo reticentes para receberem as merecidas recompensas, o que mostra, de certo modo, que os animais preferem estabelecer algum tipo de "distanciamento" de pessoas com ar de poucos amigos. O mais impressionante neste trabalho é que os cães conseguiam distinguir expressões mesmo quando estavam perante imagens em que só aparecia uma parte do rosto, nomeadamente nariz e olhos ou boca e olhos.

No passado já foram desenvolvidos estudos centrados na capacidade que estes animais têm para reconhecerem expressões faciais humanas mas, até ao momento, nenhuma das conclusões tinha sido bastante satisfatória e convincente. Estes investigadores austríacos querem ir mais além. Para breve, a equipa quer concentrar-se na influência que o estado de espírito dos humanos tem no bem-estar dos cães. Mais uma vez, pretende-se comprovar que existe um laço fenomenal entre o Homem e o cão, o eterno melhor amigo de quatro patas e que estes animais entendem melhor o seu dono do que se poderia imaginar.