A Câmara Municipal de Vila Viçosa decidiu retomar o processo de candidatura da "Vila Museu" a Património Mundial. O primeiro formulário já foi entregue à representação da UNESCO em Portugal, depois de ter sido aprovado em reunião de executivo. Trata-se de um processo já com alguns anos, mas que esteve parado nos últimos tempos. "Vila Viçosa: Paisagem Urbana, Arquitectónica, Histórica e Cultural" é o tema da candidatura.

"Este é um processo que esteve parado nos quatro anos do mandato anterior e que decidimos retomar neste mandato", declarou à Rádio Campanário o vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, Luís Nascimento. Para tal, a autarquia estabeleceu uma parceria com a Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa. "Quem está a coordenar o processo é o arquitecto Flávio Lopes e o Professor Doutor José Monterroso Teixeira, duas eminentes personalidades que têm acompanhado outras candidaturas e que têm manifestado interesse em coordenar esta candidatura", acrescentou o autarca.

O primeiro passo (formal) para o relançar do processo foi dado na mais recente reunião de executivo, com a aprovação do primeiro formulário de candidatura. "Aquilo que foi aprovado foi um formulário que é necessário preencher para entregar na UNESCO. É um formalismo", explicou o vice-presidente. O documento já está nas mãos dos representantes da UNESCO em Portugal. "Foi hoje entregue, para que Vila Viçosa possa ser incluída na lista indicativa dos bens portugueses candidatos a Património da Humanidade pela UNESCO", adiantou o número dois do executivo liderado por Manuel Condenado (CDU).

A candidatura, que tem como tema "Vila Viçosa: Paisagem Urbana, Arquitectónica, Histórica e Cultural", apresenta algumas diferenças em relação ao projecto que foi inicialmente apresentado, há mais de dez anos. "Está um pouco diferente da proposta anterior. É mais aberta, tem alterações significativas. Inclui já a Tapada [do Palácio Ducal], que não estava incluída, o legado musical, a tapeçaria, a azulejaria, a pintura a fresco, a armaria, as colecções de carruagens, a doçaria… É um documento muito interessante, que tem quase 100 páginas, que tem já o apoio de algumas entidades que se quiseram juntar a nós", concluiu Luís Nascimento.

As primeiras notícias da candidatura de Vila Viçosa a Património Mundial remontam a Agosto de 2002. Na altura, o presidente Manuel Condenado fez saber que estava a ser constituída uma comissão com técnicos de várias áreas, "figuras de prestígio a nível nacional" para definir "a estratégia da candidatura". Em 2008 Vila Viçosa reforçou o processo com um documento reformulado de inclusão na Lista Indicativa dos Bens Portugueses a candidatar. "A reformulação do documento foi baseada nos estudos entretanto realizados, com melhor fundamentação dos critérios de valor universal e excepcional de Vila Viçosa", explicou o autarca, acrescentando que o documento permitia "caminhar para uma fase de maior definição e objectividade do processo de candidatura no que concerne aos estudos orientados para a demonstração do valor excepcional do património".

No entanto, a mudança de cor política na autarquia, nas eleições de 2009, ganhas pelo PS, ditou um "adormecimento" nesta candidatura, que volta agora a estar activa. O Palácio Ducal, o castelo, o pelourinho, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição (Padroeira de Portugal) e os antigos conventos dos Agostinhos e das Chagas são alguns dos monumentos da vila, que dispõe ainda de diversos museus de armaria, arte sacra, arqueologia, caça e de carruagens, além do Arquivo Histórico da Casa de Bragança. #Turismo