Terminou ontem a participação de um grupo de meninos, entre os cinco e os 16 anos, nas atividades abertas que decorreram desde o passado dia 23, gratuitamente, promovidas pela União de freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, em conjunto com os Bombeiros Voluntários de Almada. O encerramento das atividades deu-se com um exercício final que demonstrou as aprendizagens e conhecimentos adquiridos ao longo dos cinco dias. Há nove anos que a autarquia teve a ideia de apostar neste tipo de iniciativa, que teve, desde o início, o apoio dos bombeiros locais, os de Cacilhas e a juvebombeiro.

Durante os cinco dias, os menores tiveram a possibilidade de experimentar o dia-a-dia dos soldados da paz através das "técnicas de primeiros socorros, salvamento e desencarceramento e combate a incêndios". "É a 9.ª edição. Esperamos que para o ano seja igual ou melhor", afirmou José Santos, Comandante do Bombeiros de Almada.

A população assistiu na Praça do Movimento das Forças Armadas, em Almada, a um caso prático fictício que mostrava uma cisterna em chamas com múltiplos feridos. Recebido o alerta na central dos bombeiros, foram movidos para o local um veículo de combate a incêndio e duas ambulâncias que rapidamente imobilizaram e transportaram os feridos para o Hospital Garcia da Horta, em Almada, enquanto os restantes elementos combatiam as chamas "virtuais" com ataque direto e defensivo.

"É da maior importância os jovens darem uns dias aos bombeiros. Estes elementos são importantes para a Proteção Civil Municipal. No próximo ano vemo-nos de certeza", assumiu Rui Jorge Martins, Vereador do Pelouro da Proteção Civil.

Em outro ponto do país, mas quase na mesma altura, a Associação de Pais D. Lourenço Vicente, em conjunto com os Bombeiros Voluntários da Lourinhã e a União de Freguesias de Lourinhã e Atalaia, lançaram o mesmo desafio aos alunos dos respetivos agrupamentos para, pela primeira vez, ocuparem os seus tempos livres em prol da comunidade. Durante a interrupção escolar, e após a sua inscrição, tiveram ainda a possibilidade de "conhecer e manusear materiais e equipamentos, fazer formatura e desfilar". Os 50 alunos do 2.º e 3.º ciclo do agrupamento da Lourinhã, cerca de 20 formadores, associação de pais e as juntas de freguesia desta área e Atalaia, Ribamar, Santa Bárbara e Vimeiro, e Câmara Municipal de Lisboa possibilitaram este momento inédito na região.

Ambos os eventos contaram com diferentes simulacros onde foram entregues posteriormente diplomas de participação aos intervenientes.