Leopoldina Correia, esposa do homem que, alegadamente, matou Conceição Tavares, a cabo-verdiana de 40 anos, que sucumbiu numa mata, no Seixal, a 27 de Fevereiro último, declarou à TV I que até hoje, ninguém lhe "explicou a prisão" do marido. Numa entrevista emitida no programa matinal do canal de televisão TVI, Leopoldina Correia mostrou-se ainda muito chocada com os acontecimentos recentes. "Nós éramos amigas por causa do meu marido, ele é que era amigo dela. Ela ligava-lhe quase todos os dias para ele, não para mim", declarou a mulher, referindo-se à relação com Conceição Tavares. Apesar desta amizade, garante que nunca desconfiou da suposta relação extraconjugal que o marido teria com a vítima: "Fiquei até assustada, quando li isso. Se é verdade, que eles eram amantes, eles lá sabem. Eu não imaginava".

Também Conceição Tavares tinha um companheiro, o que terá precipitado o fim da relação com o suspeito. Na manhã do #Crime, Conceição Tavares saiu para o trabalho e antes de apanhar o comboio, foi captada pelas câmaras de vigilância da estação ferroviária a mudar a rota enquanto falava ao telefone.

E terá sido esse telefonema que permitiu desbloquear o crime e permitiu à Polícia Judiciária chegar a um suspeito. Seria com o marido de Leopoldina que a vítima esteve à conversa, a agendar um encontro de cariz sexual para aquela manhã, que terá acontecido na mata onde posteriormente a mulher foi brutalmente assassinada. Após o acto sexual, terão discutido por ciúmes de Conceição Tavares ter um companheiro e o homem, num impulso de violência, terá espancado até à morte a amante.

Depois, quando se tornou pública a morte de Conceição Tavares, o alegado autor do crime e a esposa foram dos principais apoiantes da família. "Ele estava normal, não estava perturbado nem nada. Ele até foi ao funeral dela e estivemos sempre na casa deles", declarou a esposa, Leopoldina Correia.

Sobre a detenção do marido, principal suspeito da morte da amiga do casal, admite que ninguém da polícia nem o marido lhe explicaram nada até agora. "A Judiciária ligou-me a dizer que ele estava preso e depois passaram-lhe o telefone a ele", momento em que a esposa lhe terá perguntado por que motivo estava preso, ao que ele terá respondido que "agora não posso falar". O marido de Leopoldina Correia encontra-se em prisão preventiva, a aguardar julgamento. #Justiça