Tudo aconteceu no estado norte-americano do Colorado, onde uma menina de 12 anos tentou matar a mãe com lixívia depois de ficar sem o Iphone. E não foi a primeira vez que a pré-adolescente ofereceu um sumo envenenado à mãe depois de esta lhe tirar o telemóvel. Aquele que devia ter sido o castigo da menina transformou-se num pesadelo para a mãe, que teve que entregar a filha às autoridades.

Dadas as circunstâncias e a gravidade dos factos, a menina, mesmo com 12 anos, vai ser julgada por duas tentativas de homicídio. A primeira passou despercebida, após um castigo por causa das notas da escola, a menina resolveu fazer as pazes com a mãe. Ofereceu-lhe um copo de sumo. Bonito gesto se no copo de sumo não estivesse misturada lixívia. A sorte é que a menor colocou uma pequena quantidade e a mãe teve como efeitos: perda de sentidos, vómitos e diarreias. Nada que uma ida ao hospital não curasse.

Como prenda de natal, apesar de continuar com o mau comportamento na escola e com notas baixas, a mãe decidiu dar-lhe um voto de confiança e ofereceu-lhe um Iphone. Como qualquer menina de 12 anos com um smartphone na mão, a dependência do aparelho foi imediata e instantânea. Tanto que a mãe, no sentido de a repreender, tirou-lhe o Iphone. Mas a fúria da pré-adolescente foi tanta que se "transformou numa louca, aos gritos sempre que me aproximava dela", disse a mãe a um jornal do Colorado.

Um dia foi a própria filha que tentou a reconciliação. E como prova disso levou à mãe um sumo de laranja. Ao começar a beber, a mãe sentiu o cheiro forte da lixívia e confrontou de imediato a menina que, sem qualquer peso na consciência, lhe disse a verdade: tentou matá-la porque ela lhe tirou o telemóvel. Desta vez, a quantidade exagerada de lixívia permitiu à mãe sentir o cheiro antes de beber e avivou-lhe a memória para o que tinha acontecido semanas antes, quando perdeu os sentidos e foi hospitalizada. Sem outro remédio, teve que chamar as autoridades e agora vai ver a filha no banco dos réus.