Azul, preto, branco ou dourado? Quais as cores que vê?  Certamente estaria a pensar no vestido, mas o que está em causa, neste caso, são as cores da violência doméstica, representadas, notoriamente, pelos hematomas presentes no corpo da modelo. A beleza loira que vê nesta campanha não é apenas mais uma modelo a dar corpo a uma publicidade.  A rapariga, que traz consigo o vestido tão falado nos últimos dias, é, infelizmente, um dos milhares casos de violência doméstica, que todos os dias fazem sofrer pessoas, por todo o mundo. 

A mente criadora e o olhar atento à sociedade que está subjacente a esta campanha é o Exército de Salvação da África do Sul, que pretende despertar a atenção de todos para este #CrimeO Exército de Salvação da África do Sul decidiu usar o vestido que tanta controvérsia gerou, nas redes sociais, em torno das suas cores reais, para que as pessoas pudessem, com a mesma atenção, olhar e refletir sobre a violência doméstica. Mães, irmãs, amigas, companheiras de vida. Todos os dias alguém perde o seu ente querido devido à violência doméstica, que tantas vezes é ignorada.  Só no ano passado, Portugal viu 40 mulheres a perderem a vida desta forma tão cruel.

Apesar de estudos científicos comprovarem que o vestido era azul e preto, nesta campanha encontra-se, aos olhos de todos, branco e dourado. No entanto, o azul e o preto estão presentes nesta campanha. O vestido, que foi o centro das atenções por longos dias, passa agora para segundo plano, destacando-se os hematomas presentes nos joelhos, boca, pernas e olhos da modelo.  Esses hematomas, representados pelas cores reais do vestido, azul e preto, são o resultado da violência que muitas mulheres são sujeitas.  A razão pela qual muitos viam cores diferentes no mesmo vestido devia-se à ilusão e à forma como os nossos olhos podem perspetivar o mesmo objeto de forma diferente.

Assim, e usando o debate que alimentou muitas mentes curiosas, o Exército de Salvação lança a conclusão: afinal não vemos todos da mesma forma. Neste caso, a "única ilusão é se pensar que foi uma escolha dela. Uma em cada seis mulheres é vítima de abuso", afirma o Exército numa imagem que colocou no Twitter.

Independentemente das cores, existe um outro assunto que se eleva, mas que nem sempre tem a sua devida atenção: a Violência Doméstica. Que é, nada mais, nada menos, que agressões verbais e psicológicas que destroem aquilo a que todos temos direito e dever de o fazer: viver.  Nunca devemos esquecer as mulheres que foram, e são, vítimas deste crime. Especialmente no dia de hoje, o Dia da Mulher.