Barcelona foi a primeira cidade a ter o título, atribuído pelo Centro Europeu de Voluntariado, numa competição que começou em 2013. Neste ano, entre Basel e Nápoles, cidades concorrentes, um júri internacional decidiu atribuir esta responsabilidade, e também confirmação de mérito, a Lisboa. Criar um ambiente propício ao voluntariado, assente na divulgação, valorização e reconhecimento, definindo e promovendo estratégias de intervenção, são iniciativas-chave para o sucesso da proposta de uma cidadania mais comprometida com os outros e, por isso, mais interveniente do ponto de vista social.

Numa altura em que a palavra empreendedorismo é transversal na nossa sociedade, desenvolver planos de ação de solidariedade e compromisso social faz parte das mentalidades empresariais e de cada um de nós, enquanto agentes individuais na agenda da entreajuda. Há um tremendo potencial, quando falamos na sintonia entre a eficiência económica e a responsabilidade social, sobretudo, incentivando esforços, desenvolvendo novas ideias e parcerias num contexto que continua a ser de necessidade, a vários níveis.

A dinâmica entre ajudar em casos de pessoas e famílias carenciadas, numa postura mais intervencionista, e de investir na melhoria das instituições de solidariedade, acrescenta casos gratificantes à enciclopédia do voluntariado. Ser voluntário pode preencher-nos e nos seus princípios fundamentais, que vão desde a sensibilidade à equidade, passando pelo compromisso, responsabilidade e transparência, há um reencontro com máximas inabaláveis. Existem inúmeras associações nacionais que podem fazer parte do seu plano de voluntariado. Pesquise, encontre e assuma-se como um empreendedor solidário.

Algumas instituições

Já são mais de 20 os Bancos Alimentares em Portugal. Num último balanço, a presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares contra a Fome, Isabel Jonet, constata um decréscimo face a iniciativas e anos anteriores, não deixando, contudo, de realçar a preciosa ajuda dos portugueses, mesmo em fase de grandes dificuldades. Os visados são as cerca de 425 mil pessoas com carências alimentares, que recebem cabazes ou refeições confecionadas.

A Associação Portuguesa de Apoio à vítima, que define que o estatuto de vítima de crime deve ser, plenamente, reconhecido e valorizado, reúne esforços no sentido de fornecer todo o apoio emocional, jurídico, social e psicológico. No relatório anual 2013, disponível até à data, registaram-se mais de 37000 atendimentos, 11800 processos de apoio e cerca de 8700 vítimas diretas. À semelhança de anos anteriores, numa tendência intimidante, os crimes de violência doméstica representam mais de 80% dos crimes registados pela APAV e mais de 80% das vítimas de crime, no sentido lato, são do sexo feminino.

Na missão da Liga Portuguesa Contra o Cancro cabe o apoio ao doente oncológico e à sua família, a aposta na prevenção do cancro e o estímulo à formação e investigação no domínio da oncologia. Entre diversas iniciativas desta associação de solidariedade, destacamos a Linha Cancro (808 255 255), onde técnicos especializados, enfermeiros e psicólogos, com formação na área da oncologia, garantem um apoio social e psicológico ao doente e familiares, bem como o esclarecimento de questões gerais neste contexto.

Agora, basta fazer a sua escolha entre estas e muitas outras ações e projetos de ajuda social. A Bolsa do Voluntariado, sítio online (bolsadovoluntariado) é, certamente, uma ferramenta indispensável.