As causas da morte não são para já conhecidas. Natural do Funchal, Madeira, onde nasceu em 1930, Herberto Hélder era considerado por muitos o maior poeta nacional das últimas décadas do século XX. Autor de 27 obras de poesia, tendo a primeira sido publicada em 1958, publicou a última em 2013, com o título "A morte sem mestre". Apesar de estar constantemente afastado da ribalta, recusando-se sempre a dar entrevistas, do mediatismo da literatura e dos rankings das vendas, era considerado um dos mais respeitados e originais poetas que escrevia em Português.

Em 1994 foi lhe atribuído o Prémio Pessoa, mas Herberto Hélder recusou recebê-lo, como lembra a edição do Público online, sublinhando que na altura o poeta pediu ao júri para não anunciar o seu nome e atribuir o prémio a outro autor. Os seus livros, de edição única, rapidamente se esgotavam e por isso alguns deles atingem valores elevadíssimos, como o caso do livro "A morte sem mestre", lançado no ano passado pela Porto Editora.

Herberto Hélder de Oliveira tinha ascendência judaica e frequentou a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, mas não concluiu o curso, trabalhando depois em Lisboa como jornalista, bibliotecário, tradutor, angariador de publicidade e animador de rádio. O poeta viajou bastante e pela Europa teve vários empregos, todos diferentes e não relacionados com a literatura. Nos anos 70, trabalhou em Angola e escreveu para a revista "Notícia", em Luanda.

Desde 1958, altura em que publicou "Poesia - O Amor em Visita", seguiram mais de duas dezenas de obras, como "A Colher na Boca" e "Poemacto" (1961), "Lugar (1962), "Electrónicolírica" (1964), "Húmus: poema-montagem", "Retrato em Movimento" e "Ofício Cantante: 1953-1963 Antologia" (1967), "O Bebedor Nocturno" (1968), "Vocação Animal" (1971), "Poesia Toda" (1973), "Cobra" (1977), "O Corpo o Luxo a Obra" (1978), "Photomaton & Vox" (1979), "Flash" (1980), "A Plenos Pulmões" (1981), "Poesia Toda 1953-1980" (1981), "A Cabeça entre as Mãos" (1982), "As Magias" (1987), "Última Ciência" (1988), "Do Mundo" (1994), "Poesia Toda" (1996), "Ou o poema contínuo: súmula" (2001), "A Faca Não Corta o Fogo - Súmula & Inédita" (2008), "Ofício Cantante - Poesia Completa" (2009), "Servidões" (2013) e por último, "A Morte Sem Mestre" (2014).

A notícia da morte foi dada pela família, que revelou que o funeral se vai realizar amanhã, 25 de março, mas será reservado aos familiares.